Abriu espaço para a estrada e ficou sem casa

10/10/2012 11:23 - Modificado em 10/10/2012 11:23

“Se soubesse que íamos levar estas chatices, nunca dava entrada para fazerem a estrada porque nós ficaríamos ali morados”, afirma de forma assertiva José da Cruz, também conhecido por Zezinho Violino, em relação ao início das obras da estrada Garça-Cruzinha. Isto porque para Zezinho a casa onde morava ficava onde a estrada iria passar e que acordaram que daria abertura para que obra iniciasse com a condição que receberiam uma nova casa.

 

O acordo, adiantado por Zezinho, é que ficaria numa casa durante um tempo e que em seis meses receberia a sua nova casa. E já la vão dois anos que a família não tem uma casa em condições. Zezinho mostra-se desagrado com os andamentos do acordo e explica o porquê: “debaixo do muro onde passa a estrada é que construíram uma casinha sem condições, sentada em cima de areia, que fica metade na nossa terra e a outra metade em terreno alheio”.

A casa apesar de não apresentar condições para as pessoas morarem, fica mal alicerçada e “é um lugar perigosos porque quando cai chuva leva a casa e tudo”. “Presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande embargou o trabalho,mas os responsáveis pela obra estão teimando que é ai que as pessoas vão morar”, assegura Zezinho. Para ele esta situação é uma prova que “pobreza é para deitar no lixo”.

Por isso pede a quem é direito para “ ver para esta situação que em que estão a abusar por força de poder”. É que conta que tem insistentemente procurado resolver o problema, mas do outro lado “estão teimando que a casa vai ficar no mesmo local”.

Está situação prolonga-se e Zezinho espera que haja uma resolução rápida e que a família possa receber uma casa adequada e com condições para que possam morar. Ao fazer conta dos moradores da casa, conta o seu pai, dois sobrinhos sendo que os dois são epilépticos, e o filho estudante liceal.

  1. caboverdiano

    Num pais onde se deveria olhar para os pobres fazem exatamento o contrario projidicam-nos levando a classe memos favorecida e cair cada vez mais no fundo do abismo enquando eles os ” GRANDES” vivem no bem bom…

    mas o dia deles esta contado e vão pedir dismola por perdão mas tal não ira acontecer
    pois são pessoas más em que a unica coisa que veêm na frente são “$” que entre nas suas contas bancarias (dinheiro sujo) que ja não tem espaço para receber mais … por isso não merecem perdão.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.