Recluso condenado por assassínio suspende greve de fome porque o STJ vai analisar o caso

10/10/2012 08:45 - Modificado em 10/10/2012 08:46

O NN apurou que o recluso da cadeia de Ribeirinha, Adérito Rocha, condenado a 25 anos de prisão, pelo homicídio da sua companheira, suspendeu a greve de fome iniciada nesta segunda-feira. A decisão do recluso aconteceu depois de receber uma notificação do Supremo Tribunal de Justiça ,no sentido em que as suas denuncias de não ter tido direito a defesa e ao recurso serão analisadas.

 

Este online sabe que o recluso, Adérito Rocha, pôs fim a greve de fome iniciada no dia 8 de Outubro. A suspensão da greve aconteceu, por volta das 12 horas ,desta terça-feira, depois de o recluso ser notificado pelo STJ, que o seu caso seria analisado para determinar a confirmação e ou redução da pena aplicada pelo Juízo Crime da Comarca de São Vicente.

Adérito Rocha, que se encontrava numa cela especial, quando iniciou a greve de fome regressou à cela comum onde cumpria a sua pena. O ex-tratador de peixe vai agora aguardar pela decisão do STJ depois de alegar que os seus direitos foram violados durante o julgamento e depois da leitura da sentença.

Recorde-se que na carta que o NN teve acesso, o recluso acusava o Estado de não lhe ter garantido a defesa de acordo com a Constituição, isto porque, no seu entender “ o defensor oficioso não deu uma palavra para a minha defensa durante todo o julgamento”. Também acusava o advogado, nomeado pelo Estado, de não ter recorrido da pena aplicada para o Supremo Tribunal de Justiça.

Adérito escreveu que “ nem o advogado, nem o Tribunal, nem uma assistente social me explicaram que tinha dez dias para construir um advogado e recorrer da sentença. Diz que se o defensor oficioso o tivesse avisado “ os familiares teriam feito um peditório para pagar um advogado”.

Por considerar que os seus direitos à defesa e ao recurso foram negados, o recluso condenado iniciou uma greve de fome para que “ quem de direito analisasse o que lhe aconteceu”.E parece que o Supremo vai analisar .

  1. djonny

    Confirmação dos 25 anos e agora com redução de comida e água. Já que aguenta uma greve pode-se reduzir o que come e bebe.
    Mas ainda vai-se a tempo de mudar a lei, embora não haja retroactividade (neste caso até que se podia abrir uma excepção a lei), e aumentar o tempo de reclusão ou incluir umas pauladas todos os dias ás 05:30 da manhã. Para acordar bem fresquinho e lembrar das 14 facadas que desferiu a companheira. Deve-se cortar-lhe os tendões, como fez a companheira, assim não foge.

  2. Atento

    Fome pertal agora ele provitá esse notificação como desculpa pel podé ba da se palme porquê oi já tava ta vral escuro.

  3. Traquine

    UM INDIVIDUO QTA MATÁ MÃE D SÊ FIDJE COM 14 FACADAS, SUPREMO TITA BA PREOCUPÁ QSÊ GREVE DFOME?
    PA ELE Ê PENA DMORTE SE NÔS LEI TA PERMITI. COMO KATEM, TCHAL MORRÊ DFOME. ELE KATEM LUGAR NA SOCIEDADE.

  4. se fosses tu ou a tua familia?quero que responda

  5. silvia rocha

    e verdade , el ke lembra de direitos dakel cuitada , la catem defesa , foi pego no
    flagrante, ke vergonha. tchal morre de fome , menos um boca pa sustenta

  6. Vitima Vigilanti

    Bocez ta de parabens na Soncente, juizes la ten fortitude testicular pa manda k’ez assasin pa oia blue… agora k’ez juiz de STJ eh uns cambada de currupte, covards, sen culhoes custmode ta faze merda la pa Praia; s’ez dia ta contode

  7. Mindelense

    Pela nossa dimensão territorial e populacional, hoje encontramos na lista dos países com maior índice de criminalidade. E com estas leis que protegem os criminosos, a tendência será aumentar, se não forem mexidas nas leis. Para vermos com é tanta a impunidade e a audácia dos criminosos, esse marginal depois de ter cometido o crime que cometeu, ainda se acha no direito de exigir os seus direitos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.