Acidente em Fazenda: Ordem dos Engenheiros quer apurar se houve negligência

26/05/2017 04:39 - Modificado em 26/05/2017 04:39
| Comentários fechados em Acidente em Fazenda: Ordem dos Engenheiros quer apurar se houve negligência

O Bastonário da Ordem dos Engenheiros de Cabo Verde, Victor Coutinho, avançou à TCV que “não há dúvida que houve falhas sejam elas de que natureza forem”, pois vários são os factores que poderão ter provocado o desabamento da estrutura do prédio em Fazenda. No entanto, a Ordem dos Engenheiros garante que vai abrir uma auditoria para apurar as causas do desabamento e atribuir responsabilidades.

 

A tragédia do desabamento do prédio de dois andares que se encontrava em obras de recuperação abalou profundamente a ilha de Santiago e o país no seu todo. A preocupação em relação às construções debilitadas tornou-se num caso ainda mais sério devido à quantidade de habitações construídas sem quaisquer medidas de segurança.

Responsáveis da área da construção apontam para uma negligência técnica como sendo as causas do acidente que levou ao desabamento do prédio de dois andares na zona de Fazenda. O acidente fez, até agora, um morto e cinco feridos. Mulheres “rabidantes” que se encontravam a vender debaixo do prédio conseguiram sair ilesas.

Sabe-se que o prédio que se encontrava em obras de recuperação tinha sido construído há mais de trinta anos. Um vizinho disse ao NN que outras pessoas já tinham alertado para o perigo eminente, uma vez que as condições de segurança não estavam a ser seguidas.

Depois da Câmara Municipal da Praia ter instaurado um inquérito interno para apurar responsabilidades sobre o desabamento do prédio, a Ordem dos Engenheiros prometeu abrir uma auditoria para apurar se realmente houve negligência para assacar responsabilidades.

O Bastonário da Ordem dos Engenheiros de Cabo Verde afirma ter havido falhas, mas que ainda não foram apuradas, pois poderão estar em causa vários factores desde fenómenos tanto no interior do edifício como no exterior, problemas de infiltração de água e outros, por isso, é necessário averiguar as causas do colapso.

“Vamos constituir uma comissão de inquérito para avaliar determinadas causas e ver se há que responsabilizar o engenheiro” que é o responsável que assume a execução ou a fiscalização.

Apesar de tudo, o Vereador das Infra-estruturas e Obras da Câmara Municipal da Praia, Rafael Fernandes, assegura que a obra do prédio estava devidamente licenciada com todos os requisitos exigidos. Desde o projecto aprovado, ao termo de responsabilidade do engenheiro projectista, do engenheiro responsável pela execução da obra, título de registo de empresa responsável para a construção emitida pela comissão de alvará.

As obras de remoção dos escombros estão em curso, com o fim de garantir maior segurança. O edifício da Kim Negócio foi encerrado para ser analisado, pois os escombros ficaram encostados, daí a necessidade de ser submetido a uma perícia técnica.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.