POST: Até sempre, TACV! Porque????

25/05/2017 04:52 - Modificado em 25/05/2017 12:40

Júlio Correia, para mim um combatente  de todas as guerras, mesmo das guerras que sempre soube perdidas, levanta-se no seu estilo eloquente, inflamado, nacionalista, mas sobretudo com a coerência que tem caraterizado sua intervenção de politico e cidadão  contra a solução  encontrada para a TACV. Não vou comentar porque, neste assunto, somos os contrários que não se tocam. Para JC “ temos de conquistar o controlo nacional e democrático dos nossos parcos recursos” e eu abandonei esse discurso quando perdi o meu livrinho vermelho do camarada Mao-Tse- Tung e a globalização impos as novas fronteiras . Não concordo , mas respeito e dou espaço a opinião contrária . Mas se para JC “ a TACV foi um fator de unidade nacional num País que nasceu separado. É uma instituição da independência e uma espécie de intangível que temos”. Para mi a TACV  foi um factor de ralação. E na história do nosso pais “ nunca tantos foram ralados por um só”  e nunca um só sorveu tantos recursos dos contribuintes como a TACV- JC  despede-se com um  “até sempre TACV” .

Eduino Santos
 

Até sempre TACV !!!

O governo anunciou a suspensão dos voos internos da TACV a partir de 1 de Agosto, e de já em Julho só operar com um avião nos voos domésticos. Este é o mais recente passo de uma política danosa que não vela pelo interesse nacional, nem pelo interesse público. Fica patente que a prioridade do Governo é a criação de lucros garantidos para grupos económicos privados e estrangeiros.
Para se compreender o que significa o dano público desta decisão é necessário entender bem que funções (inclusive simbólicas) da TACV no nosso país constituído de ilhas e de comunidades emigradas. A mobilidade é um dos desafios cruciais para a coesão territorial e para a unidade nacional.
Ao preencher o vazio deixado pela TACV com a empresa Binter.CV, o Governo não só compromete o velho sonho de tornar o Sal como um hub aéreo, como posiciona essa companhia para o monopólio do mercado interno. Esta decisão fortalece o grupo canário e os investidos a ele associados a se posicionarem ao assalto do sector aeronáutico cabo-verdiano, pois há muitos interesses pelos aeroportos nacionais e pela empresa CV Handling. Diante da actual situação, que é gravosa e danosa, com indícios de falta de transparência, torna-se urgente elaborar um processo reivindicativo que não só una os interesses comuns dos trabalhadores e utentes, como investigue os procedimentos deste jogo com cartas na manga. Temos de reagir, antes que seja tarde. Temos de nos indignar face a esta decisão de vender o país e seus ativos na hasta pública e temos de conquistar o controlo nacional e democrático dos nossos parcos recursos. Exigimos saber todas as etapas das concessões para que não sejam negociatas para privados, com o dinheiro de todos.
Eu estou indignado. Onde param as vozes indignadas de todos?
Estou inconformado porque a TACV foi um fator de unidade nacional num País que nasceu separado. É uma instituição da independência e uma espécie de intangível que temos. Foram várias as propostas para uma restruturação que não acautelasse o interesse Nacional neste passado recente. Resistimos sempre.
Continuo incrédulo que uma decisão tão séria quanto grave se faça sem uma explicação do primeiro ministro no Parlamento. Incrédulo, mesmo.

Parte superior do formulário

 

Júlio Correia

 

https://www.facebook.com/julio.correia.90

  1. Jose Lima

    O PAICV vem prpor solucoes. Pergunto: porquê não resolveu o problema dos TACV nesses 15 anos? E o Sr. Neves ( irmao do JMN) acabou por afundar a compainha de bandeira nacional.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.