Proprietários de roulottes em guerra aberta com a CMSV que promete firmeza

22/05/2017 04:39 - Modificado em 22/05/2017 04:39
| Comentários fechados em Proprietários de roulottes em guerra aberta com a CMSV que promete firmeza

Câmara Municipal de São Vicente afirma que alguns eleitos municipais são proprietários de roulottes, o que o leva a concluir que existem questões políticas por detrás das acções protagonizadas por estes proprietários, por outro lado, os proprietários pedem agilidade ao executivo em vez de promessas vãs.

 

Depois da manifestação desta sexta-feira, com o objectivo de pressionar a edilidade a dar uma resposta positiva sobre o problema, que os proprietários das lanchonetes, como são chamados afirmam ser criado pela CMSV, que desde do dia 22 de Abril vem a sua actividade comercial suspensa por ordem da CMSV que deixou, por opção, diversas munícipes no desemprego.

Estão em causa ainda os investimentos feitos pelos proprietários, que com demora da câmara em dar uma resposta positiva, vêm o seu investimento em risco, já que muitos são produtos que podem passar o prazo de consumo.

Isto porque tem em mãos diversos produtos, fruto de investimento e que não podem simplesmente ficarem estagnados com risco de perdem o investimento e a edilidade, dizem fala, fala, mas “dar resultados concertos, que é bom nada”, mais grave ainda é a decisão da autarquia de suspender todos os assuntos relacionados com as lanchonetes, bem como, continuam, pediu a Electra para não fornecerem energia, só mediante uma autorização desta entidade municipal. Algo que, consideram inadmissível, já que pagam as suas contas e por isso não entendem o porque de terem e pedir uma autorização à câmara para o efeito.

Desde que a decisão de remover estes postos de trabalho, por alegada falta de higiene que a população mindelense tem sido solidaria com esta situação, mas também porque as roulottes fazem parte da rotina de várias pessoas, entre estudantes, e pessoas diversas que usam os seus serviços.

Por outro lado, a edilidade diz que vai cancelar algumas das licenças existentes e conceder outras, desde que cumpram os requisitos estabelecidos no código de posturas do município.

O responsável pela fiscalização da autarquia de São Vicente José Carlos da Cruz, avisa que a Câmara Municipal não vai trabalhar a reboque de qualquer manifestação, no entanto não deixa nenhum prazo sobre quando o assunto será resolvido. Apenas que estão a trabalhar na planificação e redistribuição das roulottes para que estejam em óptimas condições de funcionamento.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.