Kitesurf: Governo empurra Matchu Lopes para a nacionalidade espanhola

12/05/2017 04:46 - Modificado em 12/05/2017 04:46

O Kitesurfista cabo-verdiano natural da Ilha do Sal, Matchu Lopes, venceu recentemente o título de campeão mundial por Cabo Verde em Dakhla, Marrocos e, neste momento, como noticia o site espanhol “Ell Espanhol”, numa entrevista com o campeão mundial este quer renunciar à sua condição de cabo-verdiano para poder competir pela Espanha, pelo que está a tratar de conseguir esta nacionalidade, devido aos constrangimentos encontrados por ser de Cabo Verde e o Governo não o ajuda a resolvê-las.

 

O site espanhol diz ainda que a Espanha ganhará um campeão mundial de Kitesurf através de um passaporte, porque a sua condição de cabo-verdiano dificulta-lhe a participação nalgumas competições, isto porque tem sempre de recorrer a uma embaixada estrangeira para poder ter o consentimento para competir e, por ser cabo-verdiano encontra muita burocracia. Pelo que, se se nacionalizar espanhol, terá hipóteses de voltar a treinar, ganhar e voltar a ser campeão do mundo de Kitesurf.

Como aponta, sempre que viaja, leva na mochila uma revista e todas as vezes que algum funcionário o aborda sobre o propósito da sua viajem, ele retira da sua mochila esta revista para mostrar a sua cara e mostrar que é o campeão mundial de Kitesurf. Como diz Matchu, “muitas vezes é assim, entrei em vários países graças à revista, inclusive nos Estados Unidos”. Um dos motivos que levou o campeão mundial a solicitar a nacionalidade espanhola.

“É algo que me dói, porque amo o meu país. Cabo Verde está no meu coração, mas o Governo não me quer ajudar, porque poderiam dar-me um passaporte diplomático, já que sou um embaixador do desporto, mas não querem”, explica Matchu Lopes a este site sobre a sua renúncia à condição de cabo-verdiano para poder representar a Espanha.

Matchu de 1,90 metros de altura, pesa 74 quilos e fala seis idiomas, diz ainda que leva a imagem do seu país, mas que não pode deixar que os problemas nos aeroportos o deixem sem poder competir e não atender aos patrocinadores. “Sem patrocinadores estou perdido”, afirma o jovem de 23 anos, natural da Ilha do Sal.

O certo é que parece mesmo que a Espanha ganhará facilmente um campeão mundial de Kitesurf, isto porque como, afirma a mesma fonte, Matchu já se cansou de esperar por uma solução do Governo cabo-verdiano para poder resolver os seus problemas e está determinado mesmo a competir pela Espanha, visto que o Governo não lhe oferece as condições mínimas para poder representar o seu país. Na sua página no Facebook pode-se ler que grandes mudanças estão por vir e pede a compreensão de todos.

  1. salense.

    Boa sorte rapaz (filho de uma amiga minha) faz muito bem, pois e’ seu prestigio e seu ganha pao em jogo. Nao es filho de puliticos nem es de Santiago. As tetas divinas da Ilha do Sal um dia ha-de bater no “ubre”. Como tu somos centenas de milhares em “terra de gente” valorisando e contribuindo para balanca de pagamento do Estado sediado em Santiago. A ferro e pau nos suga. Breve terao uma escola profissional de Kitesurf Em Santiago. De onde esta tua mae, te ve e te anima, com amor/apoio do teu pai ca na terra. Felicidades!

  2. kagod de poss

    GOVERN TA MAS INTERESSOD E NA DA EUROPEU INTRADA LIVRE ENKUANT UM KAMPIAO DE MUNDE TEM JOELHA NA ESTRANGER KUM REVISTA NA MON PA MOSTRA KEL E CABOVERDIANO

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.