Perla Negra: A PJ não vai vigiar os arguidos colocados em liberdade

5/05/2017 04:53 - Modificado em 5/05/2017 04:53

A PJ não vai vigiar, nem controlar os quatro cidadãos estrangeiros acusados de tráfico internacional de 535 quilos de cocaína que ontem foram colocados em liberdade porque expirou o prazo de prisão preventiva. Um ex-inspector, cujo pedido de anonimato respeitamos, defende que “em primeiro lugar, a PJ não tem meios para vigiar tanta gente ao mesmo tempo”, mas considera que “se fosse relevante para a investigação e a PJ considerasse que o perigo de fuga é iminente, apesar das medidas cautelares aplicadas pelo juiz, poderá vigiar as pessoas em causa”.

Mas não acredita que isso vá acontecer neste caso, pois defende “que a PJ fez o seu trabalho que foi a captura dos indivíduos e a apreensão da droga. E o Tribunal fez o seu. Se alguém não fez bem o seu trabalho, deve assumir os seus erros”. Neste caso, os advogados dos acusados sempre defenderam que “foi um erro grosseiro não se ter feito a acusação numa língua que os arguidos dominam”. Outros dizem que isso poderia ter sido evitado na Audiência Contraditória Preliminar ou mesmo no início do julgamento.

Félix Cardoso, advogado de defesa dos arguidos estrangeiros do processo Perla Negra, considera que não existe perigo de fuga dos seus clientes, pois eles cumprirão as novas medidas de coacção. Tanto é que está convencido que na ACP (Acção Contraditória Preliminar) que vai requer, há muitas hipóteses que os seus clientes não voltem a ser julgados.

O  Segundo Juízo Crime do Tribunal de São Vicente decidiu colocar em liberdade os quatro  cidadãos estrangeiros que tinham sido condenados por tráfico internacional de 530 quilos de cocaína no âmbito do processo conhecido como Pérola Negra, mudando a medida de coacção de prisão preventiva para TIR e proibição de saída do país.

  1. xant

    chanti devia saíba tambem,,,ele ka intendi nada nada, is papia so na portugueju

  2. Jonas

    Quer dizer que os 535 quilos de cocaína encontrados não pertencem a ninguém e que o grande culpado dessa operação (apreensão/prisão) foi a PJ que desgraçadamente deu de cara com esses azarados cidadãos que estavam por acaso na posse de uma encomenda que afinal não eram eles os verdadeiros donos. PQP.

  3. roxana aguilera

    Ora … qualquer papelada q presento neste pais ,e exigem TRADUÇAO no Cartorio^
    tomare isto como jurisprudencia a proxima vez q me peçam papeladas ponto e final

  4. wikileaks-2

    Parabens Mmo JUIZ !
    Nao eª a CULPA dos Arguidos que aqui esta sendo avaliado…mas sim o Prazo da Prisao preventiva e a questao da Traducao.
    Sendo que a LEI os define, elas devem ser escrupulosamente cumpridas. Tanto eº que o Supremo Tribunal de Justiça ordenou novo Julgamento. Porem facto eº que houve erros processuais, pelo que, aqueles que os permitiram deviam ser RESPONSABILIZADOS por mecanismos internos pelas falhas.
    Como se sabe que na Vossa terra a Responsabilizacao nunca recai sobre hierarquias da cupula, vai ficar o dito pelo nao dito !
    Quanto ao titulo do Jornal, se ela eº uma Afirmacao, questiona-se aqui a postura da PJ que ate parece tem o jornal como porta voz. Sendo uma afirmacao sem bases sustentaveis, entao o titulo do jornal eº meramente expeculativo !

  5. joao miguel

    Pessoal,
    antes de no faze comentarios levianos e sem conhecimento de causa, no prende le, escuta e oia… pa depois no da nos opinion.
    alias, antes de pronuncia, no espia se na nos percurso no ca comete nenhum crime que ka tev julgament por ca ter bind pa clor, Afinal um data ta prei ta cutchi amdjer kporta ftchot pa fka livre de VBG !
    Sim senhor no comeca ta Responsabiliza la de cima porque es e pago pa caracteristicas da funcao…ma na hora k ta contece !M! es e protegid. So assim koza na terra ta comeca ta entra na linha.
    Cadeia tem tud tipo de Gent…menos kes kta vesti fote.

    Bijim

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.