Centro de Instrução Zeca Santos: recrutas fazem exercícios e ordem unida de chinelos

5/05/2017 04:49 - Modificado em 5/05/2017 04:49

Este online teve conhecimento que alguns militares da 1ª incorporação de 2017, durante exercícios militares no Centro de Instrução Zeca Santos, Morro Branco, não tem fardamento próprio para exercícios. E na falta de botas usavam chinelas e as suas próprias sapatilhas.  E devido a isso muitos militares estragaram o seu calçado e sao obrigados a ficar no Centro durante o fim- de – semana porque não podem sair descalços .

O Comandante da 1ª Região Militar, José Rui Neves, diz que a situação já se encontra resolvida, mas reconhece um atraso na entrega ,por parte do fornecedor , dos kits com os uniformes e os acessórios que são entregues gratuitamente pela corporação.

Em reacção a esta denúncia, o Comandante da Primeira Região diz, no entanto, que o facto dos soldados estarem numa ordem unida de chinelos ou numa aula cívica militar, não causa nenhum constrangimento à corporação, o que não pode acontecer é a realização de exercícios físicos exigentes serem feitos dessa forma.

Para quem não sabe, a ordem unida é uma das actividades militares, onde são treinadas as marchas militares e os desfiles cívicos.

Afirma ainda que nalguns casos, mesmo com os uniformes entregues, há situações particulares, como por exemplo, há quem não esteja acostumado a utilizar alguns tipos de botas que, muitas vezes, causam ferimentos nos pés dos soldados pelo que lhes é permito assistirem aos exercícios de chinelos, de forma a não perderem os conteúdos militares que lhes serão úteis durante a sua comissão.

Por outro lado, considera grave que militares de um país forneçam informações sobre o funcionamento de um centro militar, já que haviam sido avisados do atraso que, no entanto, já foi resolvido e todos os recrutas, neste momento, encontram-se devidamente uniformizados. “Há muita falta de bom senso”, critica.

Continua ainda, afirmando que apesar de Cabo Verde não ser um país em guerra, é preciso que as forças militares estejam preparadas. “E como é que se vão conseguir adaptar a situações difíceis e ultrapassá-las se não estiverem preparados para as mais simples. Durante a formação militar devem ser colocados nas situações mais difíceis, de forma a avaliar a capacidade mental e saber se estão preparados para a vida militar”.

  1. ex-soldado

    Sr. comandante José Rui Neves, quando o sr. foi soldado, lembra-se dos seus superiores lhe lembrarem todos os dias que o militar é o espelho da nação? Pois é, com militares fardados, fralda fora, de chinelos, com uniformes diversos e não regulamentados, com calças camuflado de uma cor e camisa camuflado de outra, uns com boinas e outros com bonés, outros com chapéus, outros com bivaque, cada um com a sua cor ao gosto do freguês, com militares usando chinelos na ordem unida (sabemos que o uso das botas nas ordens unidas serve para fazer aquele barulho, aquele que nas paradas militares, impõe respeito) soldados, sargentos e oficiais de mesma companhia ou pelotão usando uniformes completamente diferentes entre outras atrocidades que vem acontecendo nas nossas fileiras, DEMONSTRA O QUÃO CAÓTICO ESTÃO AS NOSSAS FORÇAS ARMADAS, de como a Instituição virou refém de uns quantos malfeitores que esqueceram a essência do serviço militar. Se o militar, pela forma como esta uniformizado é espelho da nação, então quer o senhor comandante nos dizer que esta nação encontra-se ao Deus dará???? A desculpa que o comandante deu aqui é a mais esfarrapada que já ouvi de um militar. Já havia comentado isso com colegas militares, tanto cabo-verdianos, portugueses, brasileiros e americanos e todos são unânimes de que as nossas FA está de mau saúde. Principalmente os americanos que prezam imenso a apresentação de um militar. Soldados de chinelos com AK-M na mão fazendo exercício ou patrulhando só vi na África ocidental principalmente na Guiné-Bissau. Aconselho o senhor comandante a pedir desculpas à NAÇÃO CABO-VERDIANA E CORRIGIR IMEDIATAMENTE TAL SITUAÇÃO.
    PS: vir culpar os soldados que ficaram nos quartéis nos fins de semana por terem usado os seus ténis para exercício militar porque as FA não consegue lhes dar um “Ti Djon” (bota de canhão curto sobejamente conhecido nas FA) por terem reclamado junto do NN tal situação é demonstrativo de que a incompetência tomou conta das nossas FA.

  2. Roberto

    o que faltava é tra fidjo de cada de se casa, e ka cria condiçoes pa instrui-lo.
    ideal era adia recrutamento.

  3. Zeze Aguiar

    Sinceramente Sr. TCg José Rui Neves. Achamos todos que tens andado á esquerda do morro branco e das forças armadas. pois vejamos: já tinhas sido infeliz ou seja muito infeliz nas considerações feitas relativamente ao soldado agredido no seu comando e agora vens desculpar-se e o pior é falar em falta de bom senso. Por onde andas oh zé? onde? o Sr. jornalista E. santos deve estar e lembras como nós todos do seu discurso no ano passado á favor do soldado cabo-verdiano. onde estás oh zé.? dizias que os recursos que provavelmente deveriam servir a favor do tal ” soldado cabo-verdiano” tem sido locados em lugar de menor interesse, qualquer coisa assim. sei e nós todos sabemos que levaste um bom puxão nas orelhas, que até não são pequenas do então chefe do estão maior demissionário #bebebto# se calhar ainda dói por estares a falar em falta de bom sendo. é falta de bom senso dizer que o dinheiro de alimentação dos recrutas não é utilizado como está destinado? é falta de bom senso dizer que os instrutores alimentam mal? nós vivemos aqui oh zé e tu não. nem sequer apareces neste centro pq como dizes tens um director no centro de instrução onde não foste ouvido nem tido nem achado na sua escolha/colocação. termino dizendo sinceramente Zé.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.