Jovem morto a tiro: PJ suspeita de um “ajuste de contas”

4/05/2017 04:37 - Modificado em 4/05/2017 04:37
| Comentários fechados em Jovem morto a tiro: PJ suspeita de um “ajuste de contas”

As investigações da Polícia Judiciária continuam a “apontar para uma suposta execução, ajuste de contas”, no caso da morte do jovem Edmir Mendes Cabral encontrado sem vida na localidade de Monte Negro, Município de Santa Cruz. Recorda-se que “Miri”, como era conhecido, encontrava-se sob TIR, na sequência do caso de tráfico de droga que envolveu o brasileiro Alerson Cordeiro detido em Junho de 2016 no Aeroporto Cesária Évora na posse de 98 cápsulas de cocaína no estômago.

 

A morte do jovem Admir Cabral ainda continua sob investigação. “Miri”, como era conhecido, foi encontrado sem vida por moradores de Gil Andrade. O jovem foi baleado com vários tiros. Segundo conta surpresa Eliana Cabral, irmã da vítima, o irmão era uma pessoa trabalhadora, sossegado e calmo pelo que desconhece os motivos da morte trágica do mesmo, pois era conhecido por todos e não tinha inimigos.

A vítima residia em Palmarejo com os filhos, mas os familiares na zona de Eugénio Lima dizem que Edmir foi raptado junto da porta por um grupo de pessoas. O rapto terá ocorrido quando o mesmo conversava ao telefone. O jovem era pai de duas crianças e esperava o nascimento de mais um filho.

O mistério continua por desvendar. Prosseguem as investigações para apurarem os meandros do crime. Porém, a PJ suspeita de um homicídio com relação a um “ajuste de contas”. Edmir Cabral foi um dos arguidos envolvidos na sequência da detenção do cidadão brasileiro Alerson Cordeiro, de 29 anos, detido em Junho do ano passado no Aeroporto Cesária Évora, com 98 cápsulas de cocaína no estômago.

O brasileiro ficou em prisão preventiva. Já o arguido Edmir Cabral, natural da ilha de Santiago, suspeitado de ser o receptor da droga, só veio a ser interrogado no dia seguinte, numa audiência que durou mais de três horas. O advogado Félix Cardoso foi quem garantiu a defesa do arguido que saiu em liberdade sob Termo de Identidade e Residência e proibição de sair do País.

Entretanto, o corpo do jovem foi conduzido para o Hospital Agostinho Neto onde aguarda pela autópsia.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.