Insegurança: ausência de sinalização da estrada preocupa comunidade educativa da escola de Safende

27/04/2017 04:29 - Modificado em 27/04/2017 04:29
| Comentários fechados em Insegurança: ausência de sinalização da estrada preocupa comunidade educativa da escola de Safende

Há vários anos que a insegurança e a falta de sinalização na estrada junto da escola de Safende vem preocupando professores, alunos, pais, encarregados de educação e até mesmo a própria comunidade. Foram várias as acções desenvolvidas no sentido de encontrar uma solução de modo a proteger os alunos dos riscos que espreitam nesta via bastante movimentada por viaturas. Contudo, apesar da situação ser do conhecimento das autoridades competentes, as crianças continuam abandonadas à própria sorte. O problema é sério e levou a comunidade educativa, mais uma vez, às ruas exigindo sinalização e sensibilizar os condutores.

 

Alunos, professores, pais, encarregados de educação e a comunidade de Safende voltaram de novo às ruas em manifestação exigindo mais segurança para as crianças. Os riscos de acidente na estrada junto da Escola são verdadeiramente fortes. O tráfico de viaturas e peões nesta via é bastante intenso e não existem passadeiras ou qualquer outra sinalização para chamar a atenção dos condutores. Os manifestantes acreditam que a sinalização da estrada poderia ser uma solução para diminuir os riscos de acidente.

O Director da Escola de Safende, Odair Afonso, mostra preocupação perante os riscos que rondam os alunos, motivo que levou a comunidade educativa às ruas. Segundo o entrevistado, o objectivo da marcha é sensibilizar as autoridades competentes e os condutores para garantirem maior segurança nesta estrada. “As crianças também têm direito à segurança e é inconcebível que numa estrada junto a uma escola não exista sinalização, pelo menos passadeiras para alertar o condutor que há uma escola”.

Inúmeras foram as ameaças de acidentes com crianças nesta via, por conta da ausência de passadeiras. Porém, diz o Director, felizmente até agora não passou de “ameaças”, mas os riscos são verdadeiramente sérios, por isso, é preciso tomar as devidas medidas de segurança a fim de evitar que o pior aconteça.

O mesmo afirma que a situação é do conhecimento da Câmara da Praia e da Polícia Nacional, mas que nada tem sido feito para garantir a segurança dos peões, sobretudo dos alunos que diariamente atravessam a estrada sem passadeiras.

Acreditando na manifestação, o Director espera que medidas sejam tomadas, no mínimo, a colocação urgente de uma passadeira.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.