Parlamento: Era para se discutir políticas de emprego, discutiram-se dados do desemprego

25/04/2017 04:47 - Modificado em 25/04/2017 04:47
| Comentários fechados em Parlamento: Era para se discutir políticas de emprego, discutiram-se dados do desemprego

O Parlamento iniciou a Sessão Plenária de Abril tendo como primeiro tema de debate as políticas de emprego do Governo. O tema foi proposto pelo MpD através do deputado Miguel Monteiro. O tema suscitou um debate que começou nas políticas de emprego e terminou na análise dos dados do desemprego divulgados pelo INE.

 

Os dois partidos não se entenderam sobre as políticas e nem sobre os dados, com a bancada do PAICV e do MpD a prover visões diferentes sobre os dados.

No final do debate, Miguel Monteiro, deputado do MpD, disse que o PAICV preferiu ir para o negativismo. “Esperança e confiança” foram as palavras mais usadas, palavras que as duas bancadas também não entenderam.

“O PAICV está na oposição e não quer que a população tenha esperança conforme a promessa que fizemos aos cabo-verdianos”. Para o MpD, neste último ano cerca de quinze mil  trabalhadores voltaram ao trabalho, falando dos postos criados, fruto dos mecanismos de apoio aos jovens e aos investidores. O aumento da taxa da população à procura de emprego, para o MpD, deve-se ao facto dos cabo-verdianos terem começado a terem esperança e confiança no Governo.

Garante que o Governo vai cumprir o compromisso dos quarenta e cinco mil postos de trabalho durante a legislatura. Compromisso sublinhado pelo Ministro da Economia e Emprego, José da Silva Gonçalves. E ressaltou a confiança e esperança que o Governo tem dado aos cabo-verdianos.

“A confiança originou o emprego e a esperança levou muitos a começarem a procurar emprego”, adianta o Ministro que acrescenta que a confiança dos investidores foi a responsável pela criação dos empregos. Para o Ministro, a esperança levou as pessoas desiludidas para as ruas à procura de emprego.

“A criação de emprego é positiva, mas não estamos satisfeitos e não ficaremos satisfeitos enquanto a taxa não for razoável para a nossa economia”, como sublinha.

PAICV

A oposição, por sua vez, não acredita que haja confiança e esperança dos cabo-verdianos no Governo. Janira Hopffer Almada, Presidente e líder da bancada do PAICV, sublinha que um ano é pouco para avaliar os compromissos de cinco mas, “um ano não é pouco se forem avaliados os compromissos de emergência que foi a bandeira de campanha: emprego e segurança”.

Para Janira, os dados do INE têm o Governo e o MpD desorientados. E utiliza os mesmos dados do INE sobre o aumento do desemprego para demonstrar a falta de política do MpD. “O dilema do MpD é que na hora que o resultado é bom é por causa da atitude do Governo, quando existe crescimento económico é mérito do Governo”. Acrescenta que quando o resultado não é bom é do PAICV porque teve quinze anos no poder. “E onde está a coerência do Governo?”.

Para o PAICV, apesar do agendamento do debate, o Governo não conseguiu demonstrar como foram criados mais empregos, quantos e em que sectores. Para o PAICV, o Governo não sabe qual o caminho que deve seguir e as medidas a implementar.

Pede e mobilização de todos, partidos, órgãos de soberania, sociedade civil, investidores para “ver o que é possível fazer para gerar mais emprego. Conseguir um consenso nacional sobre prioridades de desenvolvimento a médio e longo prazo, incluíndo a questão do emprego”.

A UCID optou por não participar activamente no debate, até quando o líder António Monteiro tentou redireccionar a discussão. Estava em debate as políticas de emprego e terminou na análise dos dados do desemprego. Na sua óptica, perdeu-se uma grande oportunidade de analisar as políticas e manifestou a vontade de saber mais sobre as medidas de captação de investimentos para Cabo Verde. Alerta para o foco em apenas um único sector, o turismo, apelando pela procura de outras áreas de investimento.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.