Donos das roulottes alegam que há contradições na medida da CMSV

20/04/2017 05:16 - Modificado em 20/04/2017 05:16

Proprietários das roulottes em São Vicente continuam a luta contra a medida da autarquia em retirar as “ lancheonetes” das ruas, sob a justificação “até que reúnam as condições de higiene exigidas pelo Código de Postura”. Os donos das roulottes asseguram que nunca houve fiscalização para comprovar tal facto alegado pela edilidade mindelense e alegam que há contradições nesta decisão. Porém, as famílias ficam prejudicadas até que haja uma solução.

“A Fiscalização e o Departamento de Saúde nunca vieram para verificar se realmente tínhamos ou não melhores condições ou se estávamos ou não a oferecer o melhor produto. Ninguém veio ter connosco”, frisa uma das proprietárias entrevistadas pela TCV. Por outro lado, a mesma garante que há contradições nas informações prestadas pela Câmara Municipal de São Vicente (CMSV), uma vez que também lhes foi dito que “têm de ficar 50 m longe dos restaurantes familiares, porque não os deixamos vender”. Perante isto, questionam qual o real motivo da retirada das roulottes das ruas.

Os proprietários das “lancheonetes” alegam que estão a ser lesados com a decisão da CMSV e apelam ao Presidente Augusto Neves para que encontre uma melhor solução, porque as famílias estão a ser prejudicadas. “Nós todos temos família, temos as nossas contas para pagar, houve um desrespeito para nós enquanto munícipes e também para os nossos clientes”.

A medida foi alvo de muitas críticas e até hoje o edil não consegue convencer os donos das roulottes que garantem que também pagam os impostos e contribuem para o desenvolvimento da ilha.

  1. MORABEZA

    Favor convidem o PR Jorge Carlos Fonseca a visitar as roulettes de forma a exercer sua influencia junto do FANFARA TI GUSTO para de vez por todas resolver esta situação. Estão a pagar o valor do voto errado !!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.