Braille uma realidade em Cabo Verde

19/04/2017 05:29 - Modificado em 19/04/2017 05:29
| Comentários fechados em Braille uma realidade em Cabo Verde

O Ministério da Educação aposta no Sistema Braille no ensino em Cabo Verde e inicia formação na cidade da Praia, com o objectivo de apoiar os alunos com deficiência visual em salas de aula, no ambiente familiar e na sociedade.

A iniciativa da formação sobre o Braille a professores, coordenadores, pais e encarregados de educação, conta com a ajuda do Núcleo de Educação Inclusiva e “essa capacitação vai ajudar os professores e coordenadores na altura da avaliação dos alunos, uma vez que têm de estar dotados de técnicas e ferramentas específicas para o acompanhamento dos alunos com deficiência visual”, diz a chefe de equipa de coordenadores da Delegação do Ministério da Educação (ME) na Praia, Constantina Afonso.

“A formação em Braille tem como propósito promover uma educação que a sociedade espera, que passa pela inclusão de todas as crianças e pessoas com necessidades educativas especiais”, assegura Constantina Afonso em entrevista à Inforpress.

A inserção do Braille no ensino cabo-verdiano representa um desafio a ser superado, uma vez que o ME reconhece que não é fácil lidar com crianças com deficiência visual e a coordenadora felicita a parceria com o Núcleo de Educação Inclusiva.

O Núcleo de Educação Inclusiva, por sua vez, defende que com esta acção, se pretende transformar as escolas em verdadeiros espaços de inclusão e de ensino de qualidade e acrescenta que “a partir do momento em que os professores estejam melhores capacitados, vão estar dotados de ferramentas para aproveitar e desenvolver as capacidades dos alunos com baixa visão e cegueira”.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.