Regadas de álcool entre menores

17/04/2012 07:28 - Modificado em 17/04/2012 07:28

Na ilha de São Vicente, a cada dia, nota-se o crescimento de adolescentes vagueando por bares, minimercados e portas das discotecas. São adolescentes com idade inferior a 16 anos que fazem a sua paródia e metem pelo meio regadas de álcool. Mas, não são apenas adolescentes dos bairros ditos problemáticos, também há adolescentes filhos da classe média-alta.

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas tornou-se um problema grave em São Vicente. Hoje a gravidade da situação é maior, porque muitos adolescentes passaram a trocar refrigerantes por grogue, ponches ou bebidas espirituosas. A situação é visível à porta dos botequins nos bairros periféricos e nas imediações de estabelecimentos comerciais no centro da cidade.

O NN apurou que muitos destes adolescentes adoptam essa postura como forma de exibir ou porque os pais são dependentes do álcool, ou porque colegas já começaram a fazer o uso de bebidas alcoólicas. Por isso colocam de lado os malefícios do álcool no organismo e preferem promover a morte a curto prazo.

Erro

Em conversa com o NN alguns cidadãos afirmam que as famílias, as autoridades e os estabelecimentos comerciais são os culpados pelo consumo de bebidas alcoólicas por parte de adolescentes.

Um cidadão afirma “os estabelecimentos comerciais não estão a respeitar a lei que proíbe a venda de bebidas alcoólicas a menores, porque estão a pensar no lucro e não na saúde dos adolescentes. Por outro lado faltam inspecções regulares aos bares ou festas nesta cidade no sentido de aplicar sanções as pessoas que promovem o consumo de bebidas alcoólicas no seio dos adolescentes”.

Mas há cidadãos que culpam as famílias pela liberdade que estão a dar aos filhos menores. Já que deixam os filhos saírem à noite, sem saber com quem andam e o que fazem durante as saídas nocturnas. Mas há quem vai mais longe afirmando que o vício dos adolescentes por bebidas alcoólicas começa em casa e continua nos botequins de Mindelo. Mas enquanto este debate sociológico prossegue sem conclusões, a verdade que é os jovens mindelenses têm as portas abertas para consumirem álcool, conforme lhes dá na gana. Isto porque a sociedade permite e cria condições para que tal aconteça.

Mesmo que a ministra da Saúde tenha declarado que o alcoolismo é um problema de saúde pública, ninguém lhe leva a sério. Ninguém toma medidas em consonância com a gravidade da proclamação da Ministra e ela também não faz nada para mostrar que estava a falar sério. E entretanto as boîtes, os minimercados, as lojas, os balaios, estão cheios de jovens consumidores de álcool. Em festas privadas os menores já não consomem laranjada a moda são as regadas de álcool. E a o consumo de álcool junto dos adolescentes prossegue a sua caminhada heróica sem que ninguém lhe trave a marcha.

  1. ABRI OI

    MI TA TEMA NHA COISA DESDE UM TEM 16 ANO MA TA TEMAL SO FIM SEMANA E NA PARODIAS DURANTE SEMANA NADA COCK CONDE OIA GENTE FALA NA JOVEM PERDIDO NA BIBIDA FICA ESPANTODE MAIS CADA UM SABE SE VIDA E SE BOKA

  2. Igo

    O problema é que em Cabo Verde continuamos a falar muito e a fazer pouco. Temos leis para tudo, mas na prática é uma desgraça.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.