Pediu desculpas e em troca recebeu uma garrafada na face

3/10/2012 00:08 - Modificado em 4/10/2012 14:25

Edson Fortes, de 22 anos, foi vítima de uma agressão que o deixou com um trauma para sempre. Tinha, então, 21 anos quando foi agredido por um rapaz com uma garrafa de vinho na face. Fortes ficou com uma cicatriz fruto do incidente, onde o agressor optou pela violência, invés de aceitar um pedido de desculpas.

 

O NN continua a descida ao inferno das vítimas de violência na cidade do Mindelo. Edson Fortes foi agredido, em Agosto de 2011, na zona de Bela Vista. Segundo a vítima “ tudo aconteceu no dia 6, por volta das duas horas, durante uma festa de verão. O incidente resultou  do ambiente no local, porque a casa estava superlotada e com as luzes apagadas”.

Mas, Edson retrocede no tempo para explicar em que circunstâncias sucedeu o ataque. O jovem, da Bela Vista, explica que esbarrou-se contra um indivíduo e acabou por sujar-lhe a roupa, com um copo de bebida que tinha nas mãos. Edson Fortes tentou resolver a situação com um pedido de desculpa, mas o lesado respondeu com um empurrão.

De acordo com o jovem “ apesar de sermos do mesmo bairro, o sujeito teve uma conduta imprópria comigo, já que o incidente poderia ter sido inverso. A sua ideia é que um pedido de desculpas não traria de volta a sua roupa. Prometeu um acerto de contas e a dada altura agrediu-me com um pontapé nas costas, onde acabamos por brigar”.

 

Trauma

Fortes recorda que depois da briga pediu a um grupo de amigos que fossem para casa, para evitar um novo conflito. Mas ao passarem pelo polivalente da Bela Vista foram surpreendidos pelo rapaz, que vinha na companhia de outros indivíduos. “Não pude esquivar-me de uma garrafa de vinho vazia que ele arremessou. Fui atingido no lado esquerdo da face e dado aos ferimentos na cara fui para o hospital, onde recebi 15 pontos”.

A vítima diz que depois do incidente fez uma queixa contra o agressor e com receio de sofrer represálias foi morar com o pai na Ribeirinha. O caso foi julgado em tribunal e o agressor foi condenado a seis anos de prisão, mas viu a pena ser suspensa por dois anos. Mas este online soube que o sujeito voltou a cometer um novo crime, por isso foi encaminhado para a Cadeia de Ribeirinha.

Hoje com 22 anos, Edson assegura que as lembranças daquele dia violento continuam na sua memória e que a partir desse incidente passou a frequentar apenas festas de carácter familiar.

  1. djonny

    Concordância, Eduino, Concordância
    A vítima diz que depois do incidente fez uma queixa contra o agressor e com receio de sofrer represálias foi morar com meu pai na Ribeirinha…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.