Sal: Sem pediatra e sem previsão de colocação desse especialista

3/04/2017 08:36 - Modificado em 3/04/2017 08:36

O Hospital Regional do Sal (HRS) não tem atendimento especializado de pediatria, uma vez que a única médica já não reside na ilha. As crianças são examinadas por clínicos gerais, situação que provoca desagrado na população.

As pessoas e em particular, as mães, estão desapontadas com a falta do atendimento especializado de pediatria no HRS e consideram que esta situação é uma “triste” realidade, porque há alguns meses que a única médica pediatra deixou a ilha do Sal para ir viver nos Estados Unidos da América e, actualmente, as crianças levadas aos cuidados no hospital público são examinadas por clínicos gerais.

Entrevistadas pela Inforpress, manifestam a própria preocupação, uma vez que entendem que a presença de um pediatra na ilha é uma “necessidade imprescindível” e consideram que a pediatria é uma especialidade que deve estar em qualquer ilha do país, já que é arquipélago. Irene Silva, uma das utentes, diz que estar sem um pediatra no Sal, significa que tantas crianças estão sem acesso básico de especialidade, o que “é um problema gravíssimo”.

Maria da Luz Almeida tem um filho que é epiléptico e está preocupada com a ausência de um pediatra na ilha. “Os clínicos gerais fazem um trabalho excelente, fazem o que podem e o que não podem, ainda mais numa ilha onde também sabemos que existem limitações de meios, mas uma criança é uma criança. Numa situação de emergência, a criança pode até ser atendida por um clínico geral. Porém, um pediatra residente no Sal é indispensável e a sua falta é inconcebível”, frisa a mãe.

Duas utentes relembram que Cabo Verde é um País de Desenvolvimento Médio (PMD) o que torna este caso mais preocupante e uma mãe pergunta: “O que é que uma mãe faz ou deve fazer com um bebé ou criança que ainda está na idade de ser atendida por um pediatra… ir a outras ilhas, ser examinada por um clínico geral e depois sujeitar-se a uma medicação ou tratamento que não pode ser o mais indicado. Penso que é preciso repensar a situação. Cabo Verde está no patamar de PDM e o Sal é considerado a ilha mais turística do país”, sublinhou.

Os utentes apelam pelo igual tratamento de outras ilhas onde têm pediatras residentes para cuidarem da saúde infantil e pedem ao Ministério da Saúde que volte a colocar um médico pediatra na ilha do Sal. Porém, relembram que independentemente da sua nacionalidade, tenha a preocupação do seu domínio da língua portuguesa ou do crioulo, porque com a antiga pediatra “não se percebia metade das coisas que falava, dificultando a comunicação e compreensão entre ela e os pacientes”.

De acordo com a Inforpress, ainda não há nenhuma data prevista para a colocação de um pediatra na ilha. Enquanto isso, as pessoas terão de levar os seus filhos para as clínicas privadas que, por sua vez, se o número de pacientes o justificar, fazem deslocar um especialista da Praia ou de São Vicente para consultas programadas na ilha do Sal.

  1. Eduardo Oliveira

    O caso vertente é – simplesmente – uma falta de planeamente, de desorganização, de falta de competência. Como é que se compreende que numa ilha onde existe um grande nùmero de “pelejadores” para a sua independência, não aparece ninguém para formalizar um desiderato essencial que é a saùde do futuro nacional ?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.