Partido Popular diz que promessa do Governo de criar 9.000 postos de emprego era “pura enganação”

3/04/2017 08:17 - Modificado em 3/04/2017 08:17
| Comentários fechados em Partido Popular diz que promessa do Governo de criar 9.000 postos de emprego era “pura enganação”

O líder do Partido Popular de Cabo Verde (PP) afirmou que a promessa do Governo do Movimento para a Democracia de criar 9.000 postos de emprego ao ano era “pura e simplesmente enganação”.

Amândio Barbosa Vicente reagia assim em declarações à Inforpress, sobre os dados divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) que confirmaram que a taxa do desemprego no país aumentou em 2016.

Lembrou que a Direcção Nacional do PP já tinha alertado a população que a promessa eleitoral feita pelo Primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, de criar 9.000 empregos ao ano era “propaganda enganosa” e que os dados demonstraram que o desemprego aumentou para “nove mil e tal”.

De acordo com os dados do INE, o desemprego nos homens passou de 13,5 por cento (%) para 12,9%, enquanto que nas mulheres passou de 11,2% para 17,4%.

As pessoas activas ocupadas em 2016 eram 209.725 (194.485 em 2015) e dessas, 36.955 são desempregadas (15%) contra os 27.599 em 2015 (12,4%) e 140.467 inactivas, sendo que os jovens na faixa etária dos 15 aos 24 anos representam uma taxa de 41% da população desempregada e dos 15 e 34 anos são 24,2% da população desempregada.

No meio urbano, a taxa de desemprego é maior, tendo em conta que aumentou 2,7 pontos percentuais, isto é, passou de 14,2% em 2015 para 16,9% em 2016, e no meio rural passou de 7,9% para 10,3%.

A capital do país é a mais afectada pelo desemprego, tendo registado um aumento de 6,4 pontos percentuais de 2015 para 2016, ou seja, passando de 15,7% para 22,1%, confirma o INE.

A seguir à Praia aparecem Santa Catarina de Santiago com 19,6%, São Vicente com 16,2%, Ribeira Grande de Santiago com 13,9%, Ribeira Brava com 12,6% e Porto Novo com 10,3% de taxa do desemprego, e no sentido oposto estão Ribeira Grande e São Lourenço dos Órgãos, ambos com 4,5%, seguidos da Brava com 4,6%, Calheta de São Miguel com 5,3% e São Domingos com 5,7%.

Relativamente à campanha informativa que o Partido Popular realiza no último sábado de cada mês junto da população para avaliação do Governo em vários bairros da capital, Amândio Barbosa Vicente avançou que o propósito é fazer com que a sociedade civil seja “mais actuante” e avançar para a realização de “manifestações nas ruas contra os governantes”.

“A sociedade tem que fazer com que os governantes a respeite e que não se fazem promessas só para ganhar eleições”, disse Amândio Barbosa Vicente, defendendo que as pessoas não devem apenas votar, mas também exigir que as promessas feitas pelos políticos sejam cumpridas.

Segundo o líder do PP, o Primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, está a fazer “chacota” da sociedade civil ao “não cumprir” as promessas feitas em relação ao ensino gratuito obrigatório até ao 12º ano e ainda a eliminação da taxa moderadora nos hospitais.

Amândio Barbosa Vicente apelou ainda às pessoas para lerem os folhetos que o partido está a distribuir para que nas próximas eleições não continuem a ser enganadas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.