Augusto Neves  ” Há muito tempo que CMSV vinha pedido as donos das roulottes para criarem condições” 

1/04/2017 07:58 - Modificado em 1/04/2017 07:58
| Comentários fechados em Augusto Neves  ” Há muito tempo que CMSV vinha pedido as donos das roulottes para criarem condições” 

A questão da retirada das roulottes  das ruas da cidade do Mindelo tem dado muito que falar. O tema foi debatido na Assembleia Nacional e o Presidente da CMSV, Augusto Neves, sentiu a necessidade de explicar os motivos que levaram a CMSV a agir dessa maneira. Num tom crítico aos que têm feito oposição à medida tanto a nível de círculo político local, como do Parlamento, afirma que “a CMSV está a trabalhar com responsabilidade para melhorar a qualidade de vida dos são-vicentinos”.

Segundo Augusto Neves, a retirada  das roulottes deve-se ao facto que elas “não estavam em condições de permanecer nas ruas no estado em que estavam “pelo que a medida foi tomada. E argumenta que já há vários meses que a  CMSV vinha pedindo aos proprietários para criarem condições, mas tal não o que não aconteceu.

“Queremos uma cidade bonita e iremos trabalhar para isso . Existem roulottes que por baixo eram autênticos contentores de lixo. Não é isso que diz o código de postura e estamos a trabalhar para organizar”. O edil diz que há percepção de pessoas que ficaram satisfeitas e outras não, e que cabe à Câmara explicar o que se pretende. “Queremos que as roullotes operem na cidade , mas dentro das condições de higiene exigidas pela lei e no cumprimento do código de posturas”   

A medida foi classificada como imoral e ilegal pelo PAICV da ilha, mas Augusto Neves returque afirmando não estar de acordo. “A medida não é imoral porque temos a percepção da necessidade de manter a cidade organizada e o facto de ter uma cidade organizada significa cumprir as normas que regem o Município, porque não estamos num país sem leis”.

Segundo Neves, estão a colocar ordem nas coisas. “A medida não é ilegal porque o código de postura refresca e revela tudo. As leis dão-nos essa possibilidade e temos a consciência disso e os factos devem ser vistos como são. Uma roulotte não é um lote e está claro na lei, e tem rodas e  e horários para permanecer nos espaços. Tem de haver higiene e condições mínimas para que a população possa dispor  de um bom serviço”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.