Jovens impedidas de entrar num voo por usarem “leggings”

27/03/2017 08:46 - Modificado em 27/03/2017 08:46
| Comentários fechados em Jovens impedidas de entrar num voo por usarem “leggings”

Duas jovens foram impedidas de entrar num voo da companhia aérea norte-americana United Airlines por estarem a usar “leggings”, vestuário considerado “inapropriado”.

Para quem não sabe, “leggins” são umas calças de malha justas, usadas por crianças e adultos como uma peça de vestuário prática e confortável (podem ser comparadas a umas calças de fato de treino mas mais justas).

Ora, segundo noticia o “The Washington Post“, duas raparigas foram impedidas de embarcar no domingo de manhã num voo da American Airlines por estarem a usar “leggins”. Uma outra jovem que tinha umas “leggings” cinzentas só depois de vestir um vestido por cima foi autorizada a entrar no voo entre Denver e Minneapolis.

“Foram obrigadas a mudar de roupa ou usar uns vestidos por cima das ‘leggins’, senão não podiam embarcar”, contou Shannon Watts, que estava na porta de embarque do aeroporto internacional de Denver. “Desde quando a United vigia a roupa das mulheres?”, questionou no Twitter.

A United respondeu à mensagem, referindo que está previsto nas regras do serviço que a companhia aérea tem o direito a recusar transportar passageiros que “não estejam vestidos de forma apropriada”. Acrescentou ainda que a decisão “fica ao critério dos funcionários” de serviço.

“Não está definido o que é ‘estar vestido de forma apropriada’. ‘Leggins’ são inapropriadas”?, questiona uma utilizadora nos comentários que se seguiram.

O porta-voz da United Airlines Jonathan Guerin confirmou ao “The Washington Post” que as duas jovens não foram autorizadas a embarcar mas explicou que ambas viajavam com um cartão de funcionário da companhia aérea e “não estavam de acordo com a política de vestuário da empresa para usufruírem do benefício de viajarem”.

“Os nossos passageiros não serão impedidos de viajar por estarem a usar ‘leggings’ ou calças de ioga”, salientou Jonathan Guerin. “Mas quando estão a viajar com um passe [da empresa] exigimos que sigam as regras e essa é uma das regras”, acrescentou.

No domingo, o assunto indignou muitos utilizadores das redes sociais, que classificaram o sucedido como humilhante e insensato. Houve mesmo que garantisse que iria mudar as suas viagens – e “leggings” – para outra companhia aérea. Houve ainda muitas mulheres a vestirem “leggings” e calças de ioga e de treino para viajarem mais conformáveis, sublinha o “The Washington Post”.

jn.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.