Criminalidade diminuiu 3,3% em Cabo Verde em 2016, mas homicídios aumentam

24/03/2017 08:22 - Modificado em 24/03/2017 08:22

A criminalidade diminuiu 3,3% em Cabo Verde em 2016, com menos 854 ocorrências em comparação com o ano anterior, mas houve mais 16 homicídios inflacionados pelo caso Monte Tchota, segundo dados da Polícia Nacional.

Os dados foram avançados hoje pelo Director da Polícia Nacional de Cabo Verde, Emanuel Estaline Moreno, na abertura do XI Conselho de Comandos da Polícia Cabo-verdiana que acontece durante os próximos dois dias no Concelho de Santa Cruz, interior da ilha de Santiago.

Em relação aos Comandos Regionais, Estaline Moreno avançou que houve diminuição de crimes nos de Santo Antão (-15%), Santa Catarina de Santiago (-11%), Fogo (-4,6%) e Sal (-4,4%).

Ao contrário, registou-se um aumento de ocorrências criminais nos dois maiores centros urbanos e comandos do país, com 0,9% em São Vicente e 0,1% na Praia.

Em comparação com o período homólogo, o Director da PN indicou que o crime de roubo teve 5427 ocorrências (-0,8%), seguido do furto com 4445 (+8%), ofensas corporais com 3804 (-9,5%) e violência baseada no género com 3095 casos (+2,7%).

No mesmo período, a Polícia Nacional registou 62 homicídios no arquipélago, contra 42 no ano anterior, um aumento de 34%.

Emanuel Estaline Moreno salientou que o caso Monte Tchota, onde 11 pessoas – oito militares e três civis – foram assassinadas às mãos de outros militar, provocou um “aumento exponencial” do número de homicídios registados no ano passado.

Estaline Moreno perspectivou “melhores resultados” para o ano em curso, com mais esforços, melhor formação e mais equipamentos afectos à Polícia Nacional.

Indicando que o propósito do Governo era conter a criminalidade.

Fonte : LUSA

  1. Nilton de Pina

    Que resultados so se for o senhor é vai arriscar a sua vida para compor Cabo Verde, com um Director nacional e seus adjuntos malandros, covardes que não defende os interesses da classe, que não reage perante as decisões erroneas do ministro e do governo, que tem adjuntos corruptos, quem vai arriscar, que a criminalidade aumento dia após dia, então põe os malandros dos oficiais a labutar, pq cabo verde não precisa de estrelas em gabinete, mas sim na rua. Também fica uma deixa para o governo nem Corpo de intervenção, nem BIC/BAC, nem GATE, jamais irá proteger interesse de ninguem….contactem a PJ já que são eles que nada fazem é que merecem bom vencimento….

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.