Caso Novo Banco: Praienses ouvidos pelo NN defendem a publicação da lista dos devedores

23/03/2017 08:04 - Modificado em 23/03/2017 08:04

A maioria de cidadãos residentes na cidade da Praia   entrevistados pelo NN, dizem não compreender como é que os accionistas puderam deixar o Novo Banco chegar ao ponto em que se encontra. Contudo, nem todos partilham da mesma opinião sobre a medida tomada pelo Governo que entendeu fechar o banco. Apesar da polémica à volta do Novo Banco, os entrevistados defendem a publicação da lista dos devedores e considera que “os cabo-verdianos precisavam de ser informados do descalabro”.

A situação do Novo Banco tem sido motivo de conversa por todo o país. Nas ruas, não se ouve outra conversa que não tenha a ver com a situação do Novo Banco. Por outro lado, apesar de ser um assunto do foro financeiro, a questão tem sido politizada com os maiores partidos.  

O MpD atira a culpa para o PAICV sublinhando que “todas estas situações aconteceram com comissões executivas escolhidas pelo governo do PAICV”. O Governo do MpD não tinha outra solução senão a extinção do Novo Banco.

Já para o PAICV, a resolução da extinção do Novo Banco poderia ser evitada “se houvesse vontade” do Governo, mas este, de forma intencional e deliberada, decidiu que o banco fosse extinto.

O último assunto tem a ver com a publicação da lista dos cinquenta maiores devedores do Novo Banco. Porém, os entrevistados pelo NN consideram  que “de outra forma, os cabo-verdianos não teriam conhecimento”. Alexandre Gonçalves acredita que “só assim é que conhecemos as fraquezas dos nossos bancos, o que move sentimento de insegurança em relação aos bancos a nível geral”.

Mário Cardoso que entende a publicação “de interesse público”, diz estar totalmente de acordo com a publicação e apela aos outros órgãos de comunicação para serem mais ousados quando se trata de um interesse público.

Lúcia Boaventura afirma que o Governo não poderia continuar a injectar dinheiro, num banco que apenas trazia prejuízos, por isso, diz-se de acordo com a decisão do fecho do Novo Banco. “Penso que a sociedade deveria saber quem são os culpados que levaram o Banco à banca rota”.

O Presidente do Centro Nacional de Protecção de Dados, Faustino Varela, considerou este comportamento como uma violação “muito grave” dos direitos de protecção de dados e do direito à liberdade.

Os dados bancários são de natureza privada e confidencial mas, apesar disso, foram divulgados por um dos jornais da praça, violando o direito à intimidade e privacidade. O processo de investigação deverá estar pronto dentro de trinta dias e caso vier a provar o crime, o processo deverá passar para o Ministério Público que deverá agir criminalmente.

  1. Francisco Andrade

    Penso que ministra de Financas , Cristina Duarte, que tanto falou na TCV que os caboverdianos são obrigados a pagar o IUR, deveria ser chamada á CPI, para prestar declarações pois é o dinheiro do contribuinte ” leia-se povo”, e o INPS ( reforma dos cidadãos) que está em jogo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.