ULCS: “Politiquice que não ajuda no caso de Chã das Caldeiras”

22/03/2017 08:20 - Modificado em 22/03/2017 08:20

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, assegura que Chã das Caldeiras na ilha do Fogo está na agenda do executivo e esclarece que o Governo está em fase de elaboração do plano de ordenamento para definir onde construir e a tipologia das edificações, de modo a garantir a qualidade da zona turística. Com isto, o governante acredita que há interesses políticos em fazer afirmações contrárias, mas apela para que todos estejam sintonizados.

“Temos responsabilidade pública, não vamos colocar as pessoas em riscos porque não estamos a pensar que amanhã ou daqui a alguns anos, poderá ocorrer uma outra erupção e é necessário compatibilizar tudo isso, porque são vários os interesses em jogos” frisa o primeiro-ministro. Este esclarece que sobre a reconstrução de Chã das Caldeiras é preciso garantir a qualidade da zona turística havendo desta forma a necessidade de compatibilizar os interesses individuais e do Estado, para que o potencial da zona não seja danificado.

Vários interesses estão envolvidos, nomeadamente individuais, legítimos e do Estado que tem como objectivo garantir a qualidade ambiental, protecção futura e contra o risco diz Ulisses Correia e Silva à Inforpress. “Se amanhã houver algum problema iremos ser culpados pelo facto de não ter tomado as decisões que é não permitir as construções em zonas de riscos” justifica o executivo de Cabo Verde.

Está-se na fase da elaboração do plano de ordenamento e o 1º Ministro relembra que “foi lançado concurso e até adjudicado as obras e voltou-se a ponto zero. O Governo quer resolver o problema e criar um ambiente favorável em que todos estejam sintonizados. Excluindo tudo que é politiquice que não ajuda a resolver mas, cria problemas”.

O Governo está a desenvolver as pontes para equacionar os problemas, o que exige que todas as partes facilitem, porque “não se pode tomar decisões hoje e dizer o assentamento vai ser neste sítio e amanhã dizer que é noutro lugar.”

  1. Carlos Borges

    Não se pode fazer tudo que estiver ao nosso alcance para ganharmos eleições a qualquer custo, porque futuramente pagara mesma moeda. Foi o que aconteceu com os discursos de campanha do MpD. Aproveitou de muitas oportunidades da situação da Ilha do Fogo, particularmente de Chã das Caldeiras para ganhar eleições, e pela primeira vez o MpD ganhou todas as eleições na Ilha de Fogo, com compromisso que se ganhar as eleições, resolveria todas as questões pendentes de Chão, usando um termo muito pesado para resolução dos compromissos urgentemente. Ora, o termo urgentemente qualquer cidadão atento sabe o significado. Absurdo agora fica mal o Primeiro Ministro vir ao publico falar de politiquice quanto as questões de Chã das Caldeiras, sabendo que foram usadas e renderam votos.Foi o que o Sr. usou que ganhou as eleições, agora os moradores estão cobrar a mesma moeda.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.