Processo contra a CRASDT. – Pedido público e pessoal de desculpas de Amândio Brito, por violência doméstica contra a sua esposa Eydira Brito

20/03/2017 17:13 - Modificado em 20/03/2017 17:13
| Comentários fechados em Processo contra a CRASDT. – Pedido público e pessoal de desculpas de Amândio Brito, por violência doméstica contra a sua esposa Eydira Brito

Aconselho a todos a verem este vídeo com muita calma e serenidade, porque o seu conteúdo é MUITO FORTE e CHOCANTE, em especial para as pessoas mais sensíveis.

Neste sétimo episódio falaremos de três dos casais mais problemáticos e conflituosos dentro da CRASDT, sendo que os maridos dentre esses casais (incluindo eu) praticavam covardemente violência doméstica contra as suas esposas (o Samuel contra a Elsa, o Branco contra a Vera e eu Amândio contra a Eydira).

Aproveito e faço uma extensa e pessoal Confissão Pública sobre os pecados de violência doméstica que eu pratiquei dentro do meu lar, contra a minha, na altura inocente e indefesa, esposa, Eydira Brito, magoando-lhe profunda, dolorosa e injustamente, tanto em termos mentais, como também sentimentais e físicos, sem que ela merecesse. E tudo principalmente porque na época ela era práticamente das únicas pessoas amigas do Inácio Cunha, em toda a CRASDT, e que não concordava com várias das maldades que nós os outros satanistas da CRASDT, fazíamos conscientemente dentro da CRASDT, sendo assim a Eydira, das pouquíssimas pessoas dentro da CRASDT que tinha algum Amor pelo Inácio e pela Verdade Bíblica. Logo por causa do meu ódio violento e cego contra o Inácio, na tentativa extremista de separar a Eydira do Inácio e de levar a Eydira a tornar-se a minha escrava pessoal, eu magoei por várias vezes, injusta e covardemente, a minha própria esposa Eydira Brito.

Ao falar deste processo, chegado eu aqui, senti-me por dentro necessitado de confessar esta minha grande culpa, que há muito que me atormenta a mente e que tem a minha consciência bastante pesada, porque sei que errei, e errei muito mesmo e errei de forma muito grave e com grande covardia, crueldade e maldade: CONFESSO E PEÇO PERDÃO por causa disso.

Aproveito ainda nesse vídeo para pedir desculpas em primeiro lugar à própria Eydira, a todos os familiares da Eydira, aos meus familiares, a toda a sociedade e a todas as mulheres do mundo, em especial às cabo-verdianas, que não merecem sofrer a qualquer tipo de violência doméstica, da parte de homens covardes e machistas como eu fui, e às quais tenho a plena noção de que eu desiludi pessoalmente, ao fingir ser defensor das mulheres no Tribunal, quando em casa, eu era um terrível e maldoso agressor da minha própria mulher, e o pior de tudo, justamente no nosso primeiro ano de casamento (que na teoria deveria ser o mais feliz para a Eydira, mas na prática foi o mais doloroso, cruel e sofredor para ela).

Esconder não é o remédio; mas sim remédio santo o confessar e o deixar. A todos peço Sinceras Desculpas…

O vídeo deixa também mais claro, o verdadeiro carácter dos queixosos…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.