Chã das Caldeiras: “Os deslocados não esperam pelas próximas eleições para resolver os problemas”

20/03/2017 08:26 - Modificado em 20/03/2017 08:26

Miguel Montrond, representante dos deslocados de Chã das Caldeiras, na ilha do Fogo, acusa o Governo de aproveitamento político durante as eleições legislativas de 2016 e adianta que após um ano de mandato, os compromissos ainda não saíram do papel.

Miguel Montrond, que foi membro da Comissão Interministerial para os deslocados de Chã das Caldeiras, em entrevista à Inforpress, assegura que das primeiras promessas, apenas a adega provisória foi cumprida e frisa que “o diálogo com a população, a acessibilidade e o novo assentamento, ainda não saíram do papel”. Este facto fez com que o representante dos deslocados escrevesse uma carta a manifestar a decepção com o actual Governo, uma vez que considera que “as promessas ainda estão engavetadas”.

“Depois de muito tempo sem se pronunciar e de nada fazer para os deslocados, achei que esta era a única forma de chamar a atenção de Sua Excelência sobre os seus compromissos em relação a Chã das Caldeiras porque os compromissos não estão a ser cumpridos e outros estão fora de órbita e o povo de Chã das Caldeiras está muito decepcionado com quase um ano de mandato”, refere Miguel Montrond. O mesmo defende que o Governo se “aproveitou da triste situação vivida pelos deslocados para ganhar as eleições no ano passado”.

“O assentamento foi abaixo, as actividades geradoras de rendimento que ajudariam as famílias a iniciarem as suas vidas nunca apareceram, as bolsas e subsídios prometidos aos estudantes não apareceram, a ampliação dos quartos nas casas reabilitadas para as famílias mais numerosas também não chegou a ser feita, assim como a mobilização de água para a população e a estrada mais acessível e de mais fácil entrada e saída da cratera ainda não tem estudo”, refere o representante para sustentar as acusações feitas ao executivo do MpD.

“As construções na cratera, não são ilegais e nem irão ser destruídas por vários motivos, nomeadamente, porque não há um assentamento para os deslocados, não existe um plano de ordenamento para Chã e porque várias famílias não dispõem das mínimas condições para terem uma vida digna como prometido nas eleições”. Esta situação dos deslocados deve-se à má gestão do actual e do anterior Governo e da Câmara Municipal de Santa Catarina, uma vez que Montrod acredita que “não souberam canalizar os recursos” e resolver os problemas da população de Chã das Caldeiras.

 

  1. Bento Silva Santos

    Caro MONTROND tu devias saber que as promessas de campanha não são para levar muito à sério!!! Muitos políticos no tempo das eleições , sem o mínimo de respeito pelo eleitorado bombardeiam promessas que a priori sabem que não poderão realizar, porém, com o único objectivo de ganhar as eleições sem “djobé pa lado”. Coragem por que a união faz a FORÇA.

  2. Manuel M. Fernandes

    Caracterizaria este pronunciamento de “interessante” se não estivessse em causa uma situação preocupante das pessoas que vivem nessa localidade e que merecem uma resposta urgente às suas preocupações e ansiedades. E porque interessante? Por vir da boca de quem vem!…de quem não teve a capacidade, enquanto responsavel, para ajudar o ex-governo de JMN a solucionar o que este Governo está a fazer. E acha que tem a verdade ao seu lado, e o tempo (1 ano de Governação) veio provar isso mesmo. Creio que este senhor, com base neste tempo percorrido, devia já estar com os pés no chão. A derrota no Fogo sofrida pelo seu Partido pela 1.ª vez na história de Cabo Verde Independente, não foi obra do acaso! Foi fruto de 42 anos de promessas sobre promessas, promessas renovadas ano pós ano e que a 20 de Março de 2016, os Foguenses disseram Basta de tratar-nos de atrasados mentais.

  3. Santa Barbara

    Quem estará por detrás do Michel Montrond? Ele julga que a promessa feita seria cumprida no dia seguinte . Coitado!!! Tem que saber fazer a diferença entre uma promessa política feita nas vésperas das eleições e uma feita depois de o Governo empossado tomar posse.As promessas são para se cumprir mas tem que ter paciência
    pois não temos petróleo e o Tesouro foi encontrado na banca rota.O dinheiro que a ex-ministra das Finanças gastou na sua campanha para a presidência do BAD , daria para cumprir todas as promessas feitas à população da Chá das Caldeiras

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.