Jovem invisual impedida de continuar estudos por motivos financeiros

20/03/2017 08:12 - Modificado em 20/03/2017 08:18

Ivanilda Varela Lopes é uma jovem de 21 anos que, ainda criança, perdeu a visão devido à catarata. Frequentou a escola até ao oitavo ano, mas teve de abandonar os estudos devido a condições financeiras. Situação que lhe deixou bastante entristecida, pois sonha um dia vir a ser professora. O objectivo deste desejo é um dia poder ajudar outras pessoas na mesma condição. Há sete anos que perdeu a mãe, o pai não a consegue ajudar pois sofreu um acidente de trabalho que o deixou impossibilitado de trabalhar. Na tentativa de poder continuar os estudos, Ivanilda veio ao público solicitar a boa vontade das pessoas no sentido de poder materializar o seu sonho.

 

Ivanilda Lopes reside na zona de Safende, cidade da Praia. Com apenas três anos de idade, foram-lhe diagnosticadas cataratas nos olhos. Apesar de ter feito diferentes exames, não foi possível reverter a situação que lhe causou cegueira completa. Aos treze anos foi submetida a uma cirurgia no olho esquerdo onde lhe foi aplicado um olho de vidro.

Frequentava o oitavo ano na escola de Fazenda, contudo, apesar do “bom aproveitamento, no ano passado viu-se obrigada a abandonar os estudos devido às condições financeiras para custear o transporte”.

Conta entristecida que a ADEVIC, Associação de Deficientes Visuais ajudava-a contribuindo com cinquenta por cento do valor de transporte, por isso, ia à escola de autocarro e regressava a pé para casa na companhia de um amigo.

Contudo, o amigo teve de viajar e ficou sem alguém que a acompanhasse. E para complicar a situação, perdeu o único gravador que tinha e auxiliava nas aulas e durante o estudo.

Motivos financeiros são a principal causa da jovem ter deixado de estudar. Um outro motivo que a levou a abandonar os estudos é por sofrer de frequentes dores de cabeça, o que lhe impede, amiúde, de estudar.

Trabalhar com pessoas invisuais é o grande foco desta jovem que sonha um dia ser professora e poder ajudar os alunos a ultrapassarem barreiras muitas vezes impostas pela sociedade. O pai era a única pessoa com que poderia contar, porém veio a sofrer um acidente que lhe provocou lesões graves na coluna impossibilitando-o de trabalhar.

Ivanilda precisa com urgência trocar o olho de vidro que lhe foi colocado há oito anos, pois o olho diminuiu de tamanho e não consegue abri-lo. A jovem mostra-se motivada em continuar os estudos e poder tornar o sonho realidade. Sem meios, isso não será possível, por isso, apela à sociedade e às autoridades competentes no sentido de a ajudarem a alcançar aquilo que tanto almeja.

Às pessoas que se sentirem sensíveis a esta causa de Ivanilda, que contactem para o seguinte contacto: 929 94 05

  1. ua

    portadores de deficiências não estudam de graça? chamam ulisses(governo d propaganda)

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.