Novo Banco: Num mar de opiniões, o Ministério Público poderá trazer a verdade

17/03/2017 08:05 - Modificado em 17/03/2017 08:05

A situação do Novo Banco tem deixado a classe política em alvoroço. Apesar de ser um assunto do foro financeiro, a questão tem sido politizada com os maiores partidos, os com ligação directa à situação, a divergirem nas explicações e visões sobre o tema. A forma mais simples de resumir a situação é a seguinte: o governo do PAICV anunciou e firmou o projecto e, depois de algumas situações anómalas, o governo do MpD, depois de ponderar sobre a situação, optou por extinguir o Novo Banco.

O processo vai ser analisado pelo Ministério Público e a questão vai ser levada ao Parlamento. Um dos panos de fundo é a acusação de gestão danosa por parte do MpD, aos antigos dirigentes do banco.

De um lado, temos o Governo à procura de resolver a situação e o PAICV questionando a opção do actual Governo. Neste sentido, analisamos os argumentos de cada lado. Para o MpD, o Novo Banco nunca cumpriu o seu objectivo que era o de apoiar as micro e pequenas empresas. E justifica que apenas cinco por cento dos créditos atribuídos foram para as médias, micro e pequenas empresas.

Avança ainda a “inexistência de procedimentos sólidos de identificação, mensuração e revisão do risco”, para além de não existir um “sistema de informação de gestão destinado a gerar dados precisos e fiáveis sobre riscos, situação financeira e patrimonial do banco”.

O MpD atira a culpa para o PAICV sublinhando que “todas estas situações aconteceram com comissões executivas escolhidas pelo governo do PAICV”. Para o MpD, o governo do PAICV ignorou directrizes do Banco Central, ficando “impávido e sereno”, pelo que o MpD não tinha outra solução senão a extinção do Novo Banco.

A questão é que o PAICV não partilha da mesma visão do MpD neste assunto, considerando que poderia haver outras soluções de forma a salvar o banco. A questão ficou mais acesa quando o antigo Primeiro-ministro, José Maria Neves, promotor da ideia, afirmou que “voltaria a criar o banco”.

Para o PAICV, as informações divulgadas pelo Governo têm tido como objectivo confundir os cabo-verdianos. E considera que a resolução da extinção do Novo Banco poderia ser evitada “se houvesse vontade” do Governo, mas este, de forma intencional e deliberada, decidiu que o banco fosse extinto. Argumenta ainda que poderia ter sido evitada já que tinha sido alertado a tempo de reverter a situação, “para garantir os investimentos dos accionistas, para preservar os postos de trabalho e para não provocar uma desconfiança geral dos depositantes”. Mas o Governo ignorou as propostas apresentadas para reverter a situação.

O maior partido da oposição afirma que faz sentido a existência de um banco com o perfil do Novo Banco, com o intento de fazer face às necessidades de financiamento das pequenas e médias empresas.

Soluções

Raras foram as vezes que os dois maiores partidos partilharam da mesma opinião e, neste assunto em particular, estão longe de estar na mesma página. O Ministério Público vai-se inteirar da situação para apurar o que realmente aconteceu no Novo Banco e que levou a esta situação. Isto porque no debate agendado no Parlamento, será mais uma discussão de posição, o que será apenas um despachar das opiniões veiculadas na comunicação social.

  1. O Governo fez bem em fechar o novo Banco, aqui não é vontade politica é defesa do dinheiro de todos nós em assumir mais impostos dos seus bolsos, tendo em conta que este banco tem dívidas avultadas e precisa urgentemente de ser recuperados. O Governo anterior aproveitou da situação e tirou dinheiro do estado sem controle para alimentar esperanças de um grupo de pessoas e que foi a falência, agora perguntamos onde paira o dinheiro e as pessoas que levantaram o dinheiro? Portanto acho que,há que haver responsabilidades. Os Caboverdeanos estão atento ao desfecho sobre o caso e estão prontos a reagir.

  2. Financeiro

    Caros, convém esclarecer uma coisa: nenhum governo tem o poder legal de extinguir um Banco. Esta competência é somente do Banco Central de Cabo Verde enquanto entidade reguladora. O projecto do Novo Banco foi sim uma ideia do Governo do PAICV, sendo que a sua autorização de instalação e actual resolução foi uma decisão do BCV. No máximo, podem dizer que o MPD não quis realizar o aumento de capital social para salvar este banco, o que é completamente diferente de o extinguir. Devemos informar sim, mas com rigor.

  3. Será

    É para fechar sim. o Novo banco nunca serviu para o que foi criado, e ainda mais estava a cria novos ricos a custa do povo, felizmente que aqui se faz aqui se paga. Porque é que tenho de matar para trabalhar, ganhar o meu dinheiro suado, e depois esses imbecis através dos meus impostos e olha que isto está uma roubalheria, vão os utilizar sem responsabildades. Este banco brincava com a cara do pobre, e dava crédito para os seus camaradas sim. Agora já percebo porque ess novo banco queria que os clientes o financiasse, com uma gerência completamente fora da realidade.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.