Vítor Silva, Prémio Mérito Teatral 2017: “O teatro para mim é tudo, o teatro é uma magia que contagia”

16/03/2017 07:31 - Modificado em 16/03/2017 07:31
| Comentários fechados em Vítor Silva, Prémio Mérito Teatral 2017: “O teatro para mim é tudo, o teatro é uma magia que contagia”

Victor Silva, Director do Festival Nacional de Teatro “Sal en Cena”, fundador e responsável do grupo de teatro Dja d’Sal e grande dinamizador cultural e teatral da ilha do Sal é o escolhido deste ano, para receber o mais importante e antigo galardão do teatro cabo-verdiano. O Prémio de Mérito Teatral será entregue no dia Mundial do Teatro, 27 Março, no Mindelo.

Animador, desportivo, hoteleiro, natural da ilha do Sal, Vítor Silva, 50 anos, é um dos grandes nomes do teatro salense e que se vê, pela primeira vez, como um agente teatral homenageado na cena do teatro nacional.

A entrega do Prémio de Mérito Teatral 2017 terá lugar no dia 27, dia internacional do teatro, no Centro Cultural do Mindelo.

“Receber este prémio é para mim um enorme privilégio, é igual a um Óscar, porque esse prémio é de todos os meus colegas do grupo teatro Djadsal e da organização do Festival Nacional Teatro Sal En Cena e para todos os nossos patrocinadores e o povo do Sal”, declarou Vítor Silva em entrevista a este online.

Agradecido, diz que este é um prémio que todos os agentes teatrais, actores, directores, entre outros, gostariam de receber. E que tem feito todos os possíveis para ter um bom e melhor teatro no Sal. “Tento passar a minha experiência para os actores mais jovens e tem sido muito gratificante”, afirma.

Questionado sobre o que o teatro representa para ele, clarifica que o teatro é “tudo, é uma magia que contagia. O que me encanta no teatro é o gosto de fazer, de representar e fazer para os outros representem”.

Para além de agente cultural, é também actor e encenador, tendo começado a subir nos palcos ainda jovem, a trabalhar nas escolas, igrejas e com grupos criados por si.

Acrescenta que o maior desafio nas artes cénicas é “correr atrás para que tenhamos um bom teatro no futuro”.

Sal é a única ilha de Cabo Verde que tem um Festival Nacional de Teatro, segundo Silva, e diz que está a fazer os possíveis que Sal e Cabo Verde tenham um teatro de qualidade. “Todos os anos trazemos para ilha o “Sal En Cena”, grupos de quase todas as ilhas de Cabo Verde”.

Entretanto, acredita que fazer teatro no Sal e em Cabo Verde é uma “carolice da nossa parte”.

Sobre o teatro, diz que este o faz sentir, mais feliz, e que está a realizar um sonho.

Mas por outro lado, critica o teatro pois deveria ser dada mais atenção e apoio porque, esta arte em Cabo Verde já tem o seu espaço, e é “bem falado além fronteiras” e em África, refere. “Somos um dos melhores, por isso, acho que deveríamos ter mais apoio não só do Governo e Câmaras, mas também das empresas privadas”.

Entre risos, diz que o teatro está presente no seu sangue desde criança e, na escola gostava de representar e, com o tempo, apenas cresceu o amor e, conforme acrescenta, “apanhei este vírus que não cura e fiquei assim para toda a vida”.

Como forma de incentivar os mais jovens a fazerem parte da sua paixão, é tentar passar para eles a sua experiência e, com o apoio daquele que considera o seu mestre, João Branco, e da Associação Mindelact que lhes tem dado muita atenção na área da formação e nas outras áreas, tem ajudado muito a cativar os mais jovens a entrar neste universo que os fascina.

Muitos afirmam que fazer teatro custa. Opinião corroborada por este agente teatral multifacetado. No entanto, realça que se se tiver amor ao teatro e à arte consegue-se ultrapassar “barreiras incríveis para fazer parte deste mundo louco de fazer teatro. É uma das coisas que nem sei explicar, só sei que é lindo”.

Actualmente vê o teatro com um grande potencial e exemplifica referindo-se aos grupos, que todos os anos saem de Cabo Verde para representarem em diversos festivais internacionais.

“São muito apreciados na diáspora. Tenho muito orgulho no nosso teatro, e tudo isso, devemos ao Festival Internacional de Teatro Mindelact”.

Sobre a actuação do Governo no teatro, é da opinião que há já alguns anos, os executivos têm demonstrado interesse no desenvolvimento das artes cénicas. “Para mim, neste momento, o nosso Ministro da Cultura tem dado muita atenção ao teatro nacional e às artes em geral e em relação à ilha do Sal, tenho tido boas relações com a nossa Câmara e prometem apoiar o nosso teatro e agora neste mês do teatro vamos assinar um protocolo entre a Câmara Municipal do Sal e o Festival Nacional de Teatro “SalEnCena”.

Acredita que o teatro nacional está bem de saúde, espera que continue assim e recomenda, pois o teatro salense ainda tem uma palavra a dizer no panorama teatral de Cabo Verde.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.