São Vicente: Mãe pede ajuda para a filha que sofre de paralisia e epilepsia

14/03/2017 08:38 - Modificado em 14/03/2017 08:38
| Comentários fechados em São Vicente: Mãe pede ajuda para a filha que sofre de paralisia e epilepsia

Antónia Gomes, 46 anos de idade, residente em São Vicente, em Salamansa, procura ajuda para a filha, Milene Simone Gomes, que sofre de paralisia e epilepsia. A sua filha, Milene, tem 17 anos de idade e depende da mãe para tudo, devido às complicações de saúde.

 

A mãe que dedica integralmente o seu tempo para cuidar da filha Milene Gomes que sofre de epilepsia e paralisia, conta das suas dificuldades enfrentadas no seu dia-a-dia para cuidar da filha.

“Não trabalho, pois dedico o meu tempo para cuidar da minha filha que muito precisa de mim. Entretanto, o meu marido, pai da minha filha, é pescador e passamos por muitas dificuldades, uma vez que viver da pesca não é fácil e a nossa filha necessita de medicamentos, entre outras coisas”, conta a mãe.

Antónia Gomes, afirma ter procurado uma Pensão Social para a filha mas sem sucesso, “pois há 8 anos que estou a correr atrás de uma pensão social para a minha filha, mas até agora nada”, considera.

Para além dos problemas enfrentados dentro de casa, Antónia Gomes, encontra outros obstáculos maiores da porta para fora, pois, conforme nos adiantou a mãe, se a filha sentir um ataque epiléptico ela tem de se deslocar de Salamansa para a cidade e as suas condições financeiras, por vezes, não lho permitem.

Antónia Gomes diz que para piorar a situação, o seu marido, José Gomes, veio a sofrer há algum tempo, de má circulação numa das pernas. “O meu marido, às vezes, passa mais de um ano sem trabalhar, pois sofre de uma má circulação numa perna, pelo que dependemos da ajuda dos familiares para sobrevivermos e ajudar a nossa filha”, realça Antónia Gomes.

A mãe diz que a filha tem uma cadeira de rodas, mas necessita de várias coisas, nomeadamente, fraldas, medicamentos, entre outros.

“De momento as necessidades da minha filha são fraldas e medicamentos, pois não é todas as vezes que tenho o dinheiro para as comprar”, afirma Antónia Gomes.  

A mãe da criança, neste momento, apela às pessoas que queiram e podem ajudar a filha que contactem o seguinte número: 

– Antónia Gomes: 231-31-21

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.