Primeiro-ministro considera palavras de Erdogan «inadmissíveis» e exige desculpas

13/03/2017 07:24 - Modificado em 13/03/2017 08:25
| Comentários fechados em Primeiro-ministro considera palavras de Erdogan «inadmissíveis» e exige desculpas

O primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, considerou este domingo que as palavras do presidente da Turquia, Reçep Erdogan, que comparou os holandeses aos nazis por terem impedido dois ministros de Ancara de entrar no país, «são totalmente inadmissíveis».

«Estamos dispostos a apaziguar a situação, mas as declarações do presidente turco não ajudam e são totalmente inadmissíveis. Este país, tal como referiu ontem o presidente da Câmara de Roterdão, foi bombardeado na II Guerra Mundial pelos nazis. É totalmente inadmissível dizerem isso. Portanto, não temos de pedir desculpa. Eles é que deviam pedir desculpa pelo que fizeram ontem [sábado].

Recorde-se que a Holanda não permitiu que dois ministros turcos se dirigissem aos expatriados turcos em Roterdão, tendo mesmo um deles sido escoltado à fronteira com a Alemanha.

«Não queríamos a ministra aqui e isso gerou o caos e as cenas a que assistimos ontem no centro de Roterdão», notou Rutte.

Os confrontos nas ruas de Roterdão causaram momentos de tensão.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.