Suspensão dos elementos da PN: Familiares de Hélder exigem punição severa

9/03/2017 07:59 - Modificado em 9/03/2017 07:59

Os familiares de Hélder Delgado reagiram à medida de suspensão dos nove elementos da Polícia Nacional envolvidos no caso da morte do jovem por alegada agressão policial, no passado dia 27 de Fevereiro. Revoltados e inconformados, os familiares consideram insuficiente a medida adoptada pelo Ministério da Administração Interna e exigem que sejam tomadas medidas de punição severa contra todos os envolvidos que causaram a morte do jovem.

A morte do jovem, no passado dia 27 de Fevereiro, desencadeou investigações à volta do caso que culminou na suspensão de, pelo menos, nove agentes da Polícia Nacional, considerando que não foram respeitados os procedimentos para com os detidos.

Contudo, no entender dos familiares da vítima, a medida do Ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, é “insuficiente”, por isso, pedem medidas mais severas, ou seja, a “prisão” para todos os envolvidos.

Inconformada e revoltada, Ivanilda Silva, irmã da vítima, afirma que é preciso fazer justiça para “que paguem pela morte do meu irmão”. A mesma adianta que “a punição não é nada” por aquilo que fizeram ao irmão.

Os familiares exigem uma explicação sobre a morte de Hélder Delgado. “Não levaram em conta o que significa “politrauma” justificando que a morte foi por causa da diabete e ainda acreditam que as fortes pancadas que destruíram completamente os órgãos não eram suficientes para lhe causar a morte”.

Ivanilda apela por justiça e acusa o Comandante da Esquadra de compactuar com o crime protegendo os agentes da polícia envolvidos. Recorda-se que “Ababa” terá sido espancado por um agente da polícia no dia 26 de Fevereiro. Segundo a versão dos vizinhos, após uma partida de futebol que decorreu no campo de Calabaceira, Hélder ter-se-á dirigido à residência do agente para beber água.

Dentro da residência o agente terá agredido a vítima com fortes pauladas e, depois de a deter, conduziu-a para a Esquadra da Polícia, onde veio a falecer na manhã do dia seguinte.

Contudo, Renato Fernandes, Comandante Regional da Polícia Nacional da Praia, assegura que Hélder Delgado foi surpreendido a roubar dentro da residência de um agente e que este terá agido em legítima defesa.

  1. Aguinaldo Fonseca

    Os ladrões estão de parabéns em Cabo Verde. Têm toda a protecção e até a nível governamental.
    Os thugs foram alguns anos atrás convidados a assentarem na mesa com o governo anterior.
    E agora a história se repete com este novo governo. Familiares e amigos do delinquente vão até exigir indemnização do Estado de Cabo Verde e audiência com o Ministro.
    Espero que um outro Hélder irá beber água em casa de um dos governantes e que esse governante não esteja armado nem tão pouco com um pau. O resultado ou seja o desfecho já sabemos qual é ou será.E neste caso a Polícia será novamente atacada.
    Vale a pena ser delinquente neste País onde o cidadão cumpridor dos seus deveres é criminalizado e os criminosos protegidos.
    Não é por acaso que a criminalidade vai aumentar e cada vez mais sofisticada e que a Polícia se sinta cada vez mais frustrada e não cumpra devidamente as suas obrigações por ser atacada até a nível governamental.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.