AMSV aprova mudança de credor para empréstimo bancário

8/03/2017 07:35 - Modificado em 8/03/2017 07:35

A Assembleia Municipal de São Vicente em sessão ordinária, aprovou a proposta da Câmara Municipal de alteração da deliberação da Assembleia que diz respeito à mudança de banco para a concretização do empréstimo aprovado na última sessão ordinária. A proposta foi aprovada com votos a favor do MpD (11) e com a abstenção das bancadas da UCID e do PAICV (10).

 

Um dos pontos sublinhados pelo Presidente da CMSV, Augusto Neves, é que a edilidade vai ter a possibilidade de poupar através das taxas de juro mais baixas praticadas pelo novo financiador. “Conseguimos melhorar as condições onde a Câmara irá poupar muito mesmo. E sentimos que deveríamos ponderar e trazer à Assembleia este material para aprovação. Para o Edil, quanto menos a Câmara pagar, menor será a dívida e “melhor será para todos”.

O documento já tinha sido aprovado na sessão anterior. A questão em cima da mesa era a mudança do financiador e o MpD votou a favor porque “respeitou as normas” e também porque estão convictos de que “é a proposta mais vantajosa e vem ao encontro do interesse público municipal, traz poupança e vem aprovar as obras para o orçamento de 2017”.

O PAICV, através do seu líder da bancada, Baltazar Ramos, justificou a orientação do voto da sua bancada. “Tendo em conta que este empréstimo é de um processo onde o PAICV votou abstenção”, o partido manteve o sentido de voto e acrescenta que “não tem nada contra a mudança do financiador que representa um ganho para o Município, devido ao menor custo”. Se fosse apenas este o aspecto, para Ramos, o sentido de voto poderia ser diferente mas o documento vem de um processo onde a bancada votou abstenção pelo que a escolha foi a de manter o sentido.

“A nossa bancada, como da outra vez, absteve-se, visto que as propostas não satisfazem as convicções da UCID”, segundo a líder da bancada, Isidora Rodrigues.

Sobre o novo empréstimo

Segundo a proposta apresentada pela edilidade, o executivo previu para o ano de 2017 a monetização de “uma carteira de investimentos que visa dotar o Município de importantes infra-estruturas e equipamentos” para cumprir as expectativas dos munícipes. Para alcançar este objectivo, prevê o recurso ao crédito bancário por um montante de duzentos milhões de escudos. E este montante perspectiva a construção do polidesportivo da zona Norte (setenta e três mil contos), a asfaltagem da Avenida Marginal (vinte e cinco mil contos), o financiamento do programa “no tj’dop compô bo casa” (quarenta mil contos), a aquisição de equipamentos para o serviço de saneamento e obras municipais (trinta e dois mil contos), a continuação da extensão da rede de acessibilidade nos bairros (vinte mil contos) e, ainda, a reabilitação e pintura da sinalização horizontal de arruamentos (dez mil contos).

  1. Malaguitinha

    Dinheiro quente para o bolso de alguns. Câmara ê sábe, sábe pa ca… !!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.