Cabo Verde: Não há registo de impunidade em casos de violência policial

7/03/2017 07:17 - Modificado em 7/03/2017 07:17

No relatório sobre direitos humanos do departamento de Estado norte-americano, divulga-se que no ano passado Cabo Verde registou 16 denúncias de violência policial, sendo a maioria relacionada com abusos físicos, porém adianta-se que autores foram investigados e responsabilizados legalmente.

“O uso excessivo da força e as agressões a pessoas detidas pela polícia surgem no relatório como o tipo de abuso dos direitos humanos mais comuns no país, que continua a debater-se com problemas de sobrelotação e de falta de condições das cadeias” lê-se no site Lusa. Ainda que os a violência policial em Cabo Verde diz respeito aos abusos físicos e no primeiros oito meses de 2016, a PN, porém esclarece que os mesmos foram todos investigados e os autores responsabilizados legalmente, não havendo registos de “impunidade envolvendo as forças de segurança durante esse ano”.

O relatório frisa que foram efectuadas medidas disciplinares contra os agentes e autores dos abusos físicos, mas que Governo de Cabo Verde terá desvalorizado a questão. Estas conclusões surgem no momento em que familiares a acusarem um agente policial, em Santiago, de ter agredido Hélder Delgado e que alegadas agressões provocaram a morte do jovem de 19 anos, que residia no Bairro de Pensamento, após ser sido detido por um agente da esquadra de Investigação e Combate à Criminalidade de Achada de Santo António. O Governo abriu um inquérito, porém família apela para que a justiça seja feita.

Para além da violência policial, outros problemas são apontados no relatório, nomeadamente a sobrelotação das cadeias, a violência e os abusos sexuais a crianças e a violência, continuidade dos casos de prostituição infantil, discriminação contra as mulheres, o tráfico de pessoas e o trabalho infantil e também classifica sistema judicial cabo-verdiano como “ineficiente”, devido acumulação de processos e falta de pessoal, o que leva frequentemente à desistência das queixas.

  1. chiara

    Eso es una gran MENTIRA, soy una mujer de nacionalidad española y sufri una grave agresion y posterior detencion ilegal policial por un sub comandante de policia en Maio en el 2013. Causa que quedo en varios juicios citados y posteriormente suspendidos por el Tribunal de Maio. Su autor quedo impune!! Hasta el dia de hoy estoy esperando noticias del tribunal supremo por dicha causa. Y si alguien quiere ver fotos de la brutal paliza dispondran de ella, asi como toda la documentacion, manipulacion de testimonios en fin de todas las negligencias pertinentes cometidas por la policia y el Tribunal de Maio. Repito en Cabo Verde no hay justicia!! Y no es un pais seguro. Dejad de mentir y hacer propaganda barata y falsa. Dejad de colaborar en las injusticias si quereis prosperar como pais. BASTA YA!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.