ULCS: “Não há facto que demonstre que o Governo vai contra a liberdade de imprensa”

6/03/2017 06:48 - Modificado em 6/03/2017 06:48

O Primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, assegura que nunca a liberdade de imprensa foi colocada em causa pelo Governo e nunca houve intenção de instrumentalizar o sector público, como acusa a associação de jornalistas de Cabo Verde (AJOC).

Ulisses Correia e Silva, Chefe do Executivo, desvaloriza a polémica entre a AJOC e o Ministro da Cultura e Indústrias Criativas (MCIC), uma vez que “não há nenhum facto que demonstre que o Governo tem alguma intenção ou teve alguma acção que fosse contra a liberdade de imprensa ou contra os jornalistas. Que me apresentem factos e evidências”, avança o Primeiro-ministro em entrevista à Inforpress.

O Chefe do Governo adianta que não vê razão para tanta “turbulência” relativamente às publicações do Ministro porque a independência e a liberdade da comunicação social em Cabo Verde nunca foi colocada em causa, muito menos houve ameaça de despedimentos. Desta forma, Ulisses Correia e Silva frisa que o Governo defende a independência e a liberdade da comunicação social para que os jornalistas façam o seu trabalho de forma “tranquila, sem pressão e sem condicionamentos”.

Estas declarações do Primeiro-ministro surgem na sequência da acusação feita pela AJOC ao Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de “ingerência” na RTC.

  1. O sr,Em cabo verde a abuso do poder politicos? Nho cuidado pa sucuro ka panha nho 1 Democracia so pa” No cre resposta de kel comandant de TACV ke matado na cadeia pamode? NHO fica dreto?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.