Carnaval 2017: público de olho no júri que não conhece

28/02/2017 07:59 - Modificado em 28/02/2017 07:59
| Comentários fechados em Carnaval 2017: público de olho no júri que não conhece

Tudo é festa e alegria no Carnaval mas, até quarta-feira, ou melhor, até à entrega dos prémios. Um momento de coroação dos melhores do Carnaval que tem dividido grupos e também apoiantes. A velha máxima de que não se pode agradar a gregos e troianos adapta-se a esta circunstância. A insatisfação das classificações tem sido os pontos da discórdia, isto quando não vence quem se esperava, na opinião das pessoas.

Em 2015, a vitória do Monte Sossego por apenas um ponto criou um clima de tensão. E quando não é o vencedor do Carnaval, é insatisfação com a coroação do rei ou rainha ou qualquer outra figura do Carnaval. O regulamento não foi socializado com a sociedade e pouco se sabe sobre os critérios de avaliação. Mas os entrevistados pelo NN fornecem algumas sugestões e, uma vez que o Carnaval da ilha do Monte Cara necessita de um vencedor, o ideal seria serem corados os que não deixaram dúvidas sobre a vitória.

“Penso que muitas vezes as pessoas têm razão quando estranham a entrega dos prémios. As pessoas sentem quem deveria ou não ganhar” e penso que os júris deveriam prestar atenção ao que as pessoas sentem”, uma sugestão vinda de Marisa Évora que reclama de alguns prémios que foram atribuídos. Neste sentido, Vicente Delgado sente que há necessidade de uma presença das pessoas na decisão, mesmo sabendo que seria um processo difícil.

Nando Lima, por seu lado, diz que a decisão deve ser de forma em que não haja dúvidas, “o melhor dos melhores”. Diz que enquanto algumas decisões forem controversas, as pessoas vão saber porque são elas “que vivem o Carnaval” e são também os júris

Isto a propósito de deixar o Carnaval com a boa marca que tem. “Muitas vezes, algumas decisões podem tirar o brilho do Carnaval se forem feitas com alguma injustiça nos prémios”, sublinha Amílcar Silva. Sabe que o Carnaval é uma brincadeira séria e que é investido muito dinheiro e, por isso, diz que tem que manter o brilho do princípio ao fim.

Neste sentido, o pedido é o de uma boa atenção por parte dos júris para que possam fazer um trabalho justo e coerente de forma que todos possam sair satisfeitos, não apenas com performance mas também com o que for arrecadado na entrega dos prémios.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.