QUE QUEREMOS PARA O PAICV USA

28/09/2012 03:23 - Modificado em 28/09/2012 12:06

Depois de umas merecidas férias nas minhas escritas, por estar a cumprir um outro projecto de carácter pessoal, projecto esse que, de certeza, irá orgulhar-me junto de vós e perdurará para sempre nas vossas memórias.

 

Não obstante esse meu silêncio aparente, tenho sido um observador atento e interessado aos movimentos que vêm acontecendo dentro e fora do PAICV, tanto aqui nos Estados Unidos, como em Cabo Verde.

 

Como é do conhecimento de todos o PAICV faz parte do meu DNA, por isso, por mais que eu me esforce não consigo abstrair-me dele e consequentemente ficar calado quando constato que afinal, o bicho daninho, encontra-se no seu interior, contaminando-o e fazendo com que o PAICV USA esteja abandonado e à deriva, para não dizer moribundo.

 

Ao nível do país, o que me deixa de queixo caído, são os opositores sem rosto que vêem pedindo a cabeça do nosso Líder JMN, com um único desígnio, o de desestabilizar o partido e fazer frete à oposição. Não é novidade para ninguém que o Presidente do partido e Primeiro-ministro de Cabo Verde vem sofrendo os desgastes normais de um governante que esteja praticamente a dois mandatos e meio, à frente de um país vulnerável e de difícil governação como é o caso de Cabo Verde, como também é de conhecimento geral que o nosso país continua a trilhar com sucesso o caminho do desenvolvimento, do bem-estar e do progresso.

Não tenho dúvidas de que enquanto JMN estiver a capitanear Cabo Verde, o nosso país continuará a figurar na lista dos países modelo na nossa sub-região e no mundo. Exemplos elucidativos desta minha convicção é a forma como Cabo Verde vem resistindo à crise internacional não obstante ser um país dependente do exterior, contrariamente a muitos outros que apesar de serem ricos em recursos naturais vêem afundando dia após dia, ou recuperando de forma tímida, como é o caso dos EUA, país onde resido.

 

Fico sinceramente atónito e chocado quando vejo militantes com alguma capacidade de reflexão e compreensão, exercendo funções de responsabilidades ao nível do partido e do país a falar banalidades, indo ao desplante de pedir a saída do nosso líder, por mera ambição desmedida e ganância de poder, não obstante este ter dito, embora inoportunamente, que não é candidato à sua sucessão em 2016.

 

Bem, regressando aos propósitos que me levou a escrever este meu artigo, quero aqui deixar um alerta a Direcção Nacional do Partido pelo estado agonizante e de abandono que o PAICV USA está votado, precisando urgente de uma pessoa capaz e disponível para o resgatar. Pensamos que para isso é preciso uma intervenção célere e decisiva da Direcção Nacional no que concerne as eleições de todos os órgãos do partido nos Estados Unidos, como uma das premissas fundamentais para a reorganização do partido, pois de maneira em que ele se encontra não vai a lado nenhum.

 

Apesar de já ter anunciado há algum tempo a minha retirada da vida política activa, em consequência de alguma mágoa e traição a que fui sujeito e tendo em estimação os supremos interesses do meu PAICV venho aqui e agora disponibilizar-me para candidatar a qualquer cargo de Direcção dentro da estrutura do partido aqui na terra do Tio Sam, caso os militantes entendam que sou uma mais-valia. A minha disponibilidade é sincera, mas não a qualquer preço. Estou pronto a retira-la, caso apareça um candidato de consenso e que me dê garantias de unir a família PAICV em torno do nosso ideário e de devolver a nossa garra dos anos noventa.

 

Caso prevaleça a minha candidatura, serei um postulante que procurará estar muito mais perto da nossa comunidade, velar pelos seus interesses, como também auxiliar os nossos Deputados com informações pertinentes que lhes facilitem na deputação. Serei um pedagogo e, sobretudo um líder da SITUAÇÃO e de Oposição. Estou cansado das sandices do MpD-USA, que usam e abusam das Rádios e televisões da comunidade com desinformações, calúnias e mentiras sem que ninguém reaja, repondo a verdade.

 

Precisamos de outra dinâmica, e estou disposto a imprimi-la de Massachussets à California independentemente de com quem vou trabalhar. Todos precisamos de um PAICV forte e coeso. Com ou sem recursos farei frente, como no passado, a todos aqueles que pretendem denegrir o nosso Partido e os nossos Deputados. PAICV é um partido que pelo seu passado e presente anda de cara levantada contrariamente a outros que usou das oportunidades para lapidar o que é nosso e enriquecer parentes e amigos.

 

Camaradas, neste momento, temos de nos juntar em torno do partido de Cabral, dar o melhor de nós e mostrar ao mundo o que sempre fomos, um partido forte e coeso. Não deixemos que ambições pessoais ou de grupos desvirtue os princípios que nortearam sempre o partido de Cabral. Nós sempre fomos mais fortes nas adversidades. Não esqueçam da máxima que diz «Tambarina, ta nderi ma ka ta kai».

 

  1. um partido que traz ditadura uso do poder que vergonha se Cabral fosse vive nao era assim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!voces matarammmmmmmmmmmmmmmmmmm!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.