Carnaval: Hotéis e residências cheios

24/02/2017 08:15 - Modificado em 24/02/2017 08:15
| Comentários fechados em Carnaval: Hotéis e residências cheios

A polémica à volta do financiamento do Carnaval foi justificada pelo Governo no sentido de dar mais atenção às ilhas onde este está mais enraizado. João Gomes, deputado pelo círculo de São Vicente no Parlamento, afirmou que o aspecto deveria ser analisado numa óptica económica. E, nesta óptica, tendo em conta os visitantes da ilha, foi feita uma ronda pelos hotéis e residências na perspectiva de ver como está a taxa de ocupação na semana do Carnaval.

Pelas entrevistas efectuadas nalguns hotéis e residências nota-se que a taxa de ocupação satisfaz os operadores visto que os hotéis e residências estão cheios com uma taxa a aproximar-se aos cem por cento. Mas, ainda nesta euforia, existe alguma excepção.

Por exemplo, no Mindel Hotel e no Don Paco, dois hotéis situados no centro do Mindelo, as respostas são simples: “o hotel está cheio”. E não escondem que o Carnaval é uma das razões para que os hotéis estejam cheios. O Foya Branca, hotel que fica fora dos limites da cidade, também sente os benefícios desta festa, ainda que para o hotel a resposta é que a “ocupação satisfaz”.

Para estes hotéis, o período que vai de 25 Fevereiro até pelo menos um de Março, as perspectivas são boas. Mesmo que o Hotel Foya Branca faça uma ressalva de que há sempre alterações e que o clima de satisfação pode não durar muito.

Pelas informações recolhidas, o Carnaval tem levado mais gente aos hotéis do que outras festas, como por exemplo, o festival.

Duas outras residenciais conhecidas na cidade também falam com satisfação deste período. Na residencial Mindelo, por exemplo, a taxa de ocupação está nos cem por cento e no Chez Lutcha “estão apertados” neste período.

Apesar da satisfação por parte destes entrevistados, a Residencial Amarante não partilha deste clima de euforia. Em conversa com os responsáveis do estabelecimento, os mesmos afirmam que não estão a sentir o clima do Carnaval e o movimento tem sido fraco. Atribuem a responsabilidade às obras que foram feitas na residencial, mas acrescentam que tem sido assim nos anos anteriores e ainda, que as épocas têm sido baixas para o estabelecimento.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.