São Vicente: Cidadão acusa polícia de agressão

21/02/2017 07:53 - Modificado em 21/02/2017 07:53
| Comentários fechados em São Vicente: Cidadão acusa polícia de agressão

Este online recebeu uma denúncia de agressão por parte da Polícia Nacional de São Vicente. De acordo com o cidadão supostamente agredido, o mesmo foi acometido por três vezes pela PN e ainda teve de passar a noite de sexta-feira para sábado detido. Celso Neves Dias conta que tudo aconteceu na sexta-feira passada, num bar perto da Laginha, onde se encontrou com o suposto amigo agente da polícia que na altura estava trajado à paisana e, numa conversa com contornos amigáveis, diz que como enfermeiro, notou algo estranho nos lábios do polícia e aconselhou-o a procurar um médico. Conselho que diz não ter sido bem aceite pelo agente que o agrediu com uma garrafa de cerveja na cabeça.

Conta que após ter sido agredido, foi conduzido pelo Piquete ,que fora chamado ao local para responder ao acontecido, ao hospital. No hospital diz que por ter exigido para ser atendido com urgência porque estava a sangrar foi agredido pela segunda vez, desta vez com um murro na cara, por outro agente.

Após o atendimento no hospital, continua, foi conduzido à Esquadra da Polícia, no Madeiralzinho, na central de operação de piquete, onde foi, mais uma vez, agredido e “fechado”, quando exigiu a presença de um advogado e da comunicação social. E só foi solto no dia seguinte e, até agora, diz que não entende a motivação do polícia que o deteve, se foi ele a vítima.

Contactado por este online  o comando da Polícia Nacional não quis gravar entrevista. Mas em informações não oficiais recolhidas pelo  NN a PN  nega categoricamente os factos, afirmando que no referido dia, ao serem chamados ao local, depararam-se com o cidadão agredido que foi conduzido ao hospital e, ao chegar nos serviços de emergência, começou a insultar e a ofender os ex-colegas de trabalho e a desacatar os agentes.

Ao ser conduzido à Esquadra para identificação, negou-se a ir para casa e, quando contactaram a família para que o fosse buscar já que estava num estado bastante agitado, este negou-se e, por isso, acabou por ficar a noite na Esquadra.

Em relação ao agente que o agrediu no bar, a polícia diz que cada agente tem a sua própria vida, independentemente da instituição. Sobre as outras acusações, a PN nega os factos.

Entretanto, Celso Dias diz que já constituiu advogado e que vai entrar com um processo contra a Polícia Nacional e os agentes, pelo crime de abuso de autoridade.  

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.