China está a desenvolver supercomputador 10 vezes mais rápido que o atual recordista

20/02/2017 09:14 - Modificado em 20/02/2017 09:14
| Comentários fechados em China está a desenvolver supercomputador 10 vezes mais rápido que o atual recordista

A China está a construir um supercomputador de última geração, que será dez vezes mais rápido do que o atual mais veloz do mundo, também fabricado no país, informou, esta segunda-feira, o jornal oficial China Daily.

Trata-se do primeiro protótipo de um supercomputador capaz de realizar um trilião (1. 000.000.000.000.000.000) de cálculos por segundo, superando assim o Sunway TaihuLight, o atual mais rápido.

O Tianhe-3 vai ser integralmente construído na China e prevê-se que comece a funcionar em 2020, na cidade de Tianjin, noroeste do país.

“A sua capacidade de computação está no próximo nível, cimentando a posição da China como líder global no ramo dos supercomputadores”, afirmou Meng Xianfei, diretor no Centro Nacional de Supercomputadores da China, citado pelo China Daily,

O Tianhe-3 “ajudará a resolver alguns dos desafios científicos mais exigentes do mundo, com maior velocidade, precisão e alcance”, frisou Meng.

O supercomputador poderá, por exemplo, analisar a distribuição dos níveis de poluição a nível nacional (os modelos atuais só suportam um distrito), simular terramotos e surtos epidémicos de forma mais detalhada, permitindo melhor a atuação das autoridades, destaca o China Daily.

A nova máquina poderá ainda analisar sequências genéticas e a estrutura de proteínas a uma escala e velocidade até agora desconhecidas, algo que pode conduzir a humanidade a “novos descobrimentos e a uma medicina mais potente”, afirmou Meng.

O Tianhe-1, o primeiro supercomputador chinês, funciona ainda em pleno rendimento e completa mais de 1400 tarefas por dia, nomeadamente a resolução de questões “envolvendo estrelas e células”, diz Meng.

Citado pelo China Daily, Liu Guangming, também diretor no centro, assegurou que o Tianhe-3 gerará lucros anuais superiores a 10 mil milhões de yuan (cerca de 1.372 milhões de euros).

jn.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.