Karaté: Sacha Soares de apenas 14 anos de idade prepara-se para o exame de cinturão negro

15/02/2017 00:01 - Modificado em 15/02/2017 16:01
| Comentários fechados em Karaté: Sacha Soares de apenas 14 anos de idade prepara-se para o exame de cinturão negro


Sacha Soares , catorze anos de idade, natural de São Vicente, estudante na Escola Secundária Jorge Barbosa  aluna de karaté na Escola Associação Wado Ryu é a atleta  mais nova de todas as escolas em estágio de preparação para o exame de graduação de cinturão negro, marcado para o dia 19 deste mês.

Sacha começou a frequentar o karaté com apenas nove anos de idade, devido ao amor que revelou por todos os desportos. A mais nova a preparar-se para o exame de graduação , aponta que gosta de praticar karaté e  ginástica, mas tem mais preferência pelo Karaté porque sobressai-se mais.

A jovem aluna já tem pelo menos seis anos na prática do Karaté e como diz “para mim é como se é um curso ou uma licenciatura que estou fazendo”. A formação do carácter é o ponto base na prática do karaté como afirma. “Foi aqui que comecei a formar o meu carácter para ser uma pessoa melhor dentro da sociedade” realça.

Sacha não quer ficar por aqui no karaté e já tem trilhado o seu caminho para depois do exame que é o de continuar e, chegar pelo menos ao dan, inferior ao do seu sensei, porque alega que por respeito nunca se pode ir mais além do que o sensei

A aluna também quer seguir os passos do seu sensei e quer ensinar aos outros o que aprendeu durante a sua caminhada . “O nosso sensei sempre nos diz que quando terminar o seu percurso no karaté, nós é que vamos ficar com o seu legado, por isso temos que aprender o máximo com ele” concluiu.

Já o seu sensei Dede realça que o percurso da jovem Sacha no mundo do karaté começou ainda criança quando chegou na sua escola. Para o sensei seja uma criança de nove anos ou para uma de onze ou doze, as dificuldades para adaptar-se no karaté são muitas, porque não só chega ter vontade e gosto mas sim ter vocação para isso, “mas se houver muita vontade chega-se la”. No caso de Sacha que considera como sendo “criação da casa”, o amor pelo desporto foi fundamental para isso, “ela lutou e deu luta, para ficar e chegar ao cinturão negro”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.