Alunos da Escola de Safende e Jardim no Espaço Aberto exigem mais respeito pela vida das crianças

14/02/2017 08:42 - Modificado em 14/02/2017 08:42
| Comentários fechados em Alunos da Escola de Safende e Jardim no Espaço Aberto exigem mais respeito pela vida das crianças

Na sequência dos frequentes acidentes de viação na estrada de Safende envolvendo sobretudo crianças do Jardim do Espaço Safende e da Escola de Safende, alunos, professores, monitores, pais, encarregados de educação e moradores saíram à rua para manifestarem e exigirem mais respeito pela vida das crianças e o direito à educação segura.

Há vários anos que os residentes apelam por uma maior segurança na estrada de Safende, isto devido aos sucessivos acidentes de viação, alguns deixando vítimas mortais. Na semana passada, três crianças foram atropeladas na passadeira invisível por uma viatura ao sairem do Espaço Aberto. Uma das vítimas ainda está hospitalizada.

Diante da triste situação que a tem preocupado, a Direcção da Escola de Safende organizou, na tarde desta segunda-feira, uma marcha para apelar por uma maior segurança e exigir mais respeito pela vida das crianças e direito à educação segura.

Os arredores da escola não possuem qualquer sinalização, nem horizontal, nem vertical alertando a existência de uma escola. Uma situação que trouxe enormes constrangimentos à comunidade escolar e não só.

O gestor da Escola de Safende, Odair Afonso, disse ao NN que caso a manifestação não surtir efeito após três dias voltarão à carga “para fazer valer o nosso direito por uma estrada segura para o nosso povo, em particular, para as nossas crianças” e uma das medidas poderá passar pelo congestionamento do trânsito nesta via fundamental para a entrada na cidade.

Depois de resultarem várias vítimas, a Câmara Municipal da Praia entendeu colocar uma rampa frente ao Espaço Aberto. A obra foi realizada durante o passado fim-de-semana. Contudo, os moradores querem mais para maior segurança dos peões. Exigem que as passadeiras sejam recolocadas, porque “as que foram colocadas desapareceram e mesmo sabendo da existência destas passadeiras, os condutores ignoram-nas e não as respeitam”.

Odair Afonso avança que sucessivas direcções da escola e do Espaço Aberto reclamaram mais segurança nesta via, “inclusive em audiências públicas que são vistas por todos. Muitos acidentes já aconteceram nestas passadeiras que quase não são passadeiras”.

De acordo com o comunicado, “a PN faz show off nas passadeiras em Fazenda, na Terra Branca, na Várzea… em Safende pagamos impostos também em escudos. E o serviço deve ser também nosso. Os condutores, sabendo da aproximação a locais de passagem de crianças não se coíbem de comportamentos arriscados com as nossas crianças”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.