Turismo: A classificação como destino número 1 e a realidade

13/02/2017 07:39 - Modificado em 13/02/2017 07:39
| Comentários fechados em Turismo: A classificação como destino número 1 e a realidade

O turismo tem sido o sector de aposta dos governos do país. O sector é visto pelos decisores como a chave para o desenvolvimento do país e todos os investimentos têm sido neste sentido, o de garantir um sector do turismo forte e sustentável. Os investimentos noutros sectores têm tido repercussão no sector do turismo.

A classificação de Cabo Verde como destino número um em 2017 pelo conceituado blog do sector, Neckerman, à frente de destinos como Portugal, Espanha, Grécia, Canárias, Itália entre outros, eleva o standard para o país. Isto, ao mesmo tempo que cria responsabilidades aos responsáveis do sector em manterem a posição.

As atenções na descrição do site revelam dois aspectos: as ilhas a visitar e os eventos a frequentar. Em termos de ilhas, a atenção volta-se para as ilhas “turísticas” da Boavista e Sal. “Estas ilhas vulcânicas que recebem a luz do sol durante todo o ano, merecem plenamente o seu apelido de “Caribe Africano”, com as suas belas praias de areia branca, as suas ondas perfeitas para o surf e as aves tropicais”, são assim descritas.

Por outro lado, em termos de eventos, o Festival Internacional de Música, no caso de se querer vir no Verão e, no Inverno, o Carnaval, especificando o Carnaval de São Vicente que acresce, para o ano de 2017, a responsabilidade dos organizadores destes eventos, neste caso, da Câmara Municipal local.

O Ministro Olavo Correia que tem a seu cargo a pasta do Turismo, já falou em eliminar as fraquezas do sector. “Temos de eliminar as principais fraquezas do turismo cabo-verdiano como a segurança, a requalificação urbana, o saneamento e a proliferação internacional do destino Cabo Verde, a captação de recursos humanos e a unificação do mercado”, sublinhou o Ministro. Acrescentando que o Governo irá dar a máxima atenção a estes aspectos nos próximos tempos, afirmando que tem um conjunto de medidas a este propósito.  

Isto, uma vez que a meta do país é estar entre os melhores destinos mundiais. E a classificação que o país foi alvo é considerada como um bom prenúncio, sem retirar a atenção dos aspectos que precisam de ser melhorados, como anunciado pelo Ministro.

O Presidente da República, ultimamente, também já falou sobre o tema. Falando sobre o assunto, no encontro internacional sobre o turismo, falou sobre a questão de explorar as potencialidades turísticas de todas as ilhas e não apenas das apelidadas ilhas turísticas. Isto no que diz respeito à distribuição de recursos.

O país quer constar no top 30 mundial dos destinos turísticos. A recente classificação é um passo para alcançar o objetivo, mas pelos discursos dos governantes, nota-se que ainda há trabalho a ser feito para que o turismo possa mesmo desenvolver-se e alcançar a meta pretendida.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.