São Vicente tem a maior taxa de desemprego: Jorge Santos diz que Governo não quer ver

27/09/2012 00:04 - Modificado em 26/09/2012 23:28

São Vicente é ilha com maior taxa de desemprego ( 18,3%) de acordo com os dados revelados pelo Nacional de Estatística (INE). E tendo como comparação o ano de 2010 houve um aumento de 4,5 % de desempregados em São Vicente . O deputado Jorge Santos comentou estes números considerando que “ em primeiro lugar esse aumentou do desemprego mostra a incapacidade do governo para inverter o aumento do desemprego”. Santos considera que “ taxa de desemprego , ora revelada, mostra a realidade que se vive em São Vicente e que Governo se recusa a ver “ .

 

Santo Antão ,outra ilha do Norte , surge como o segundo lugar com maior taxa de desemprego : 13,8 por cento. Para o deputado Jorge Santos “ são taxas preocupantes , mas o mais preocupante é a incapacidade do Governo “

Avelino Bonifácio, o antigo ministro da Economia, Crescimento e Competitividade, disse a RCV ao aumento da taxa de desemprego no Pais “ devem suscitar ao Governo e a sociedade cabo-verdiana alguma preocupação tendo em conta que o aumento do desemprego acarreta o agravamento da condição de vida dos cabo-verdianos.”. Este economista sugere que o governo “ reveja a sua política de educação e qualificação dos recursos humanos.”

Sindicatos

José Manuel Vaz, líder da Confederação dos Sindicatos Livres (CCSL) considera que o desemprego no País é maior do que os dados revelados pelo INE “O governo diz que vai criar milhares de postos de trabalho, mas tudo não passa de uma falácia. A taxa de desemprego é preocupante e há necessidade de inverter a política económica para debelar o problema e inverter esta situação drástica”,

Júlio Ascensão Silva, da UNTCSC, considera que a taxa é alta e que por isso “ o Governo deverá fazer tudo para tentar reduzir esse valor, desde a criação de novos postos de trabalho ao investimento público”

 

Governo

Para diminuir a taxa de desemprego, o Governo propõe o reforço de medidas activas de emprego, nomeadamente a formação profissional, as bolsas de formação e emprego, os estágios profissionais, o micro-crédito e autoemprego.

O executivo de José Maria Neves defende também a flexibilização do mercado laboral.

  1. antónio dos santos

    E vai aumentar ainda mais. Só este mes varias empresas em S. Vicente já fecharam. E mais estão na calha. No cortejo vem o aumento da prostituição, da delinquencia sob as diversas formas, à destruição das familias, dos valores e da sanidade mental. Esse governo está a brincar com o fogo e nem tem consciencia disso. Desempregados com formação superior ou com ensino secundário, é gasolina sob mato seco. Esses teem consciencia e sabem questionar do porquê…Vá sr. 1.º ministro, continue….

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.