Dia Nacional Contra Abuso e Exploração Sexual de Crianças: sim, mas é preciso alterar lei

10/02/2017 07:31 - Modificado em 10/02/2017 07:31

A Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais pretende tornar o dia 4 de Junho no Dia Nacional Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças. Isto, na perspectiva de chamar a atenção à dimensão que o problema via adquirindo em Cabo Verde ao mesmo tempo que se procuram mecanismos de combate.

A Presidente desta Comissão Parlamentar, Joana, está ciente que é um tema que tem chocado a sociedade. Nos últimos tempos têm sido recorrentes as notícias de abuso de crianças em várias ilhas do país. Com estas denúncias, o assunto vai-se tornando preocupante, isto também, quando as próprias autoridades não conseguem fazer uma estatística pela sensibilidade do crime, e também pelo facto de nem sempre existirem denúncias. O perfil dos abusadores tende a ser pessoas próximas das vítimas.

Com a medida de instaurar a data como algo simbólico, a deputada espera que se faça mais no combate ao abuso sexual e chama a responsabilidade dos sujeitos parlamentares como representantes do povo. Mudanças na lei seriam uma forma prática de ajudar no problema.

“Há que estudar a possibilidade de alteração de algumas leis. Necessidade de alterar a lei quando se fala muito em morosidade da justiça”. Como sugestão, aponta o estabelecimento de prazos para julgamentos. São matérias que esperam que os parlamentares estejam em sintonia. O objectivo passa por haver uma proposta que seja levada ao Parlamento para depois os deputados poderem “desempenhar o seu papel”, como sugere. Isto porque, como acrescenta, os parlamentares são representantes do povo e têm de reflectir o sentimento da população.

  1. Andrea Fortes

    “Crianças sao flores da revolução”. Maldita a hora que esta frase foi formulada. E os homens, nao esquecer tambem as mulheres, estonteadas com os slogans ilusórios da revolução perderam todo o controlo sobre o seu desejo sexual.
    Milhões foram investidos em campanhas de consciencialização sobre uma reprodução responsável, milhões foram investidos em artigos anti conceptivos, dinheiro perdido, tempo perdido.
    A libido incontornável e indomavel falou mais alto. A cabeça deixou de funcionar, a noção de responsabilidade desapareceu e o resultado está à vista de todos.
    Uma paternidade irresponsável, crianças trazendo ao colo crianças, miséria alargada e o pior ainda essa explosão duma população jovem e sem nenhuma perspectiva vai funcionar como uma bomba atómica debaixo desta sociedade.
    Crianças que na verdade deveriam ser umas flores e como tais tratadas, pois nao pediram para vir para este mundo, foram finalmente as maiores vitimas da revolução.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.