Mau tempo: Pescadores e peixeiras preocupados com a escassez de peixe

8/02/2017 07:16 - Modificado em 8/02/2017 08:17

O mau tempo que se fez sentir durante as últimas semanas impediu que os pescadores se fizessem ao mar provocando uma ruptura no pescado. É habitual nesta altura do ano a redução do consumo do peixe, uma vez que para além da escassez, o preço do pescado aumenta exponencialmente. Pescadores, peixeiras e clientes abordados pelo NN dizem-se preocupados.

 

As peixeiras que se deslocam diariamente ao cais de pesca do Porto da Praia estão de “balaios” vazios e de mãos atadas devido à falta de pescado. ”Sem peixe, não podemos fazer nada, o que nos impede de trabalhar e levar o pão de cada dia para as nossas famílias”.

Os homens do mar que arriscam e desafiam as altas marés nesta altura do ano, pouco ou nada conseguem pescar. De rostos cansados pela jornada sem retorno, os pescadores lamentam a escassez de pescado. Depois de longas horas no mar, nada mais resta senão esperar pelo dia de amanhã.

A escassez de peixe na cidade da Praia leva ao desespero de homens e mulheres que têm o mar como fonte de sobrevivência. Nesta terça-feira, a nossa equipa de reportagem deslocou-se ao cais de pesca e deparámo-nos com um grande número de mulheres em busca do peixe, a maioria delas sem sucesso.

De acordo com os pescadores abordados pelo NN, o peixe não abunda e não se pode contar com a variedade nesta altura do ano. O produto é escasso o que faz elevar o preço. Os mesmos mostram-se preocupados e apreensivos com a situação.

No cais da Praia encontram-se dezenas de peixeiras com os seus alguidares vazios à procura do pescado para revenderem. Por volta das 10 horas nada tinham conseguido, sinal de que o dia não seria produtivo. A peixeira Augusta disse ao NN que há cerca de sete dias que não consegue comprar peixe para revender, pois os barcos de pesca chegam quase sempre vazios. As primeiras que chegam ao cais conseguem uma quantidade muito reduzida”.

“Nesta época é muito difícil conseguir qualquer quantidade de peixe e se conseguirmos, o preço é muito levado e nem sempre os clientes estão financeiramente disponíveis para adquirem o pescado a um preço tão alto”, relata outra peixeira

“Não temos peixe, só encontrei “catxorreta” e o preço varia entre os cem e os cento e vinte escudos. Normalmente não ultrapassa os oitenta escudos, mas se compramos, temos de vender ao preço do mercado”, acrescenta.

A quebra do volume de capturas deve-se ao mau tempo sentido nas últimas semanas factor que contribuiu para a acentuada quebra de rendimentos dos pescadores e peixeiras.

  1. Paulo Martins

    O problema da falta de peixe é Nacional ou local? Se é Nacional porquê a notícia toda a volta do cais da Praia? No resto do país também está sem peixe? Se é local, o problema, em que localidade? Pela foto, parece que é em Ponta do Sol, em S. Antão, certo?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.