Autoridades judiciais e ICCA investigam caso de menor deficiente que ficou gravida depois de sofrer abuso sexual

6/02/2017 08:24 - Modificado em 6/02/2017 08:24
| Comentários fechados em Autoridades judiciais e ICCA investigam caso de menor deficiente que ficou gravida depois de sofrer abuso sexual

A vítima que padece de problemas mentais terá sido abusada sexualmente por dois indivíduos residentes na mesma casa. A menor de doze anos vive com a mãe adoptiva na zona de Várzea e encontra-se grávida de cinco meses. O caso está sob investigação das autoridades judiciais e do Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente.

O caso veio à tona há cerca de duas semanas quando a mãe de criação se apercebeu de modificações no corpo da menor. A entrevistada disse ao NN que após suspeitar de que a vitima, que é doente mental, poderia estar grávida, confrontou-se com ela a e mesma confessou que teria sido abusada sexualmente por dois indivíduos que residem na mesma casa.

Após a confissão, a mãe adoptiva accionou a Polícia Judiciária que se inteirou do caso. Os exames médicos confirmaram a gestação de cinco meses. Fontes judiciais informaram o NN que os dois indivíduos suspeitos já foram interrogados e que decorrem outras investigações sobre o crime.

O ICCA, Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente, encontra-se a par da situação e a vítima tem vindo a receber tratamentos. A menina que estudava o sexto ano de escolaridade não consegue falar correctamente e, infelizmente, perdeu a sua adolescência tendo passado a ser adulta e a ter de viver com os problemas dos adultos. 

Neste momento, a polémica estabeleceu-se não sobre as causas do que aconteceu mas sobre uma situação concreta, isto é, se aos 12 anos a menor deve ter o filho que traz no ventre ou se deve abortar? Eis a questão.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.