Deportações: MAI diz que não há razões para pânico

1/02/2017 08:20 - Modificado em 1/02/2017 08:20
| Comentários fechados em Deportações: MAI diz que não há razões para pânico

O Ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, disse que não há razões para pânico com a deportação de 400 imigrantes cabo-verdianos ilegais nos Estado Unidos da América. Paulo Rocha adiantou que as pessoas podem ficar tranquilas, porque o Governo está a acompanhar esse processo de deportação, tendo realçado que apenas um número “insignificativo” desse grupo está envolvido em questões de crimes.

Esclareceu ainda que “o grosso dos deportados que tem chegado a Cabo Verde vindo não apenas dos EUA, mas também da Europa, tem-se conseguido inserir muito bem na nossa sociedade e tem tido um papel importante no processo de desenvolvimento. Relativamente aos 24 que cometeram crimes mais graves, estamos atentos e estamos aqui para trabalhar com eles quando chegarem, de forma a facilitar a sua inserção na nossa sociedade, prevenindo qualquer reincidência que possa haver.

Paulo Rocha fez saber ainda que a assinatura de um acordo de deportação dos cidadãos ilegais com antecedentes criminais, acto que ocorreu na semana passada entre os dois governos, americano e cabo-verdiano, “vai permitir ao nosso país um melhor controlo do processo de deportação”.

O governante fez estas considerações quando intervinha numa palestra promovida pelo Curso de Direito da Universidade de Santiago sobre “Medidas de Política para a Segurança”, onde esteve a partilhar com os alunos e docentes as medidas que o Governo tem para o sector da segurança.

 

Fonte: Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.