Mãe adoptiva procura ajuda para criança com graves problemas de saúde

27/01/2017 07:30 - Modificado em 27/01/2017 07:30

Djamila Soraia Rocha, carinhosamente chamada por “Deizy” tem 10 anos e sofre de diferentes doenças que a impede de ter uma vida como outra criança normal. Não consegue caminhar devido a um problema nas costas, doença conhecida por “espinha bífida”, e varias outras complicações de saúde. Aos três meses de idade foi abandonada pela mãe que tem problemas com o álcool. Para além de fracos recursos financeiros Maria Almeida, “Jini”, sentiu compaixão e resolveu ficar com a criança uma vez que a progenitora nunca quis saber da filha. Deizy aguarda resultados da junta médica e do processo de adoção que ainda está em Tribunal e por conta do ICCA.

Para além dos resultados, há três anos que “Deizy” deixou de frequentar a escola devido a complicações de saúde que tem levado os médicos a interná-la com frequência. Contudo o desejo da mãe “Jini” é ver a filha continuar seus estudos.

A criança padece de vários problemas de saúde. Aos oito anos de idade Deizy foi submetida a uma cirurgia nas costas devido doença conhecida por “espinha bífida”, mas mesmo assim ainda não conseguiu andar apesar das sessões de fisioterapia. Há mais de dois que surgiu um ferimento localizado nas nádegas que a incomoda sobretudo quando esta sentada. Utiliza sonda urinária devido a uma infeção.

A criança não consegue fazer uma vida normal como as outras tendo em conta os problemas de saúde. Devida a sua condição, beneficia de uma pensão de Estado no valor de quatro mil e pouco escudos. Dona “Jini”, reside na zona de Cabaceira, não consegue trabalhar, porque a criança depende inteiramente dela. Tem levado a vida graças a apoios de amigos e familiares e algumas instituições.

Ainda assim Deizy precisa de uma cadeira de roda, fraldas, produtos de higiene, alimentos, vestuário, brinquedos e de muito amor. Sem saber que fazer, Jini, viúva e mãe de mais seis filhos apela a sensibilidade das pessoas de boa vontade.

“Jini”, disse para o NN que não conhece o pai da criança, mas que a mãe biológica chama “Bela” é natural da ilha de São Vicente, que tem sérios problemas com o álcool e não sabe o paradeiro da mesma pois nunca apareceu para saber da filha. Djamila foi o nome que “Jini” registrou a criança em homenagem a uma médica muito carinhosa.

Tendo em conta as complicações de saúde, Deizy conseguiu uma junta médica para tratamento, mas o problema é que não quiseram que a Djamila fosse registada com o apelido da mãe de criação o eu veio trazer complicações na sua evacuação. Desesperada a mãe aguarda resultados do processo que está sob alçada da ICCA e do Tribunal para ser evacuada e que possa ter acompanhamento da mãe adoptiva.

Para as pessoas que pretenderem apoiar esta criança que muito precisa, Jini deixa o seu contacto de telemóvel 520 36 74.

  1. roxana aguilera

    p q nao foi evacuada para portugal ???

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.