Santo Antão: Jairson Morais, artista plástico pede tratamento igual para todos os aristas em Cabo Verde

25/01/2017 07:59 - Modificado em 25/01/2017 07:59

Jairson Morais, 30 anos, é artista plástico, é natural da Ilha de São Vicente, mas desde os 8 anos de idade, deixou a Ilha do Monte Cara para viver na Ilha de Santo Antão.

O artista plástico desde muito cedo descobriu a sua paixão pelo desenho e, com o passar do tempo começou utilizar a técnica do acrílico sobre telas canvas para retractar as suas inspirações, oferecendo tons e contrastes de luz e sombra aos seus variadíssimos trabalhos.

Jairson Morais tem a sua propiá identidade como artista plástico que construiu ao longo dos anos e, retracta normalmente o folclore das Ilhas de Cabo Verde, ou seja, a vivência Cabo-verdiana (mar, mulher, paisagens, a pesca, a música, etc.). Domina outras técnicas como: Street Art, Grafite, Pintura de murais, Desenhos Livre, pinturas sobre telas e, trabalha como designer a full time, entre outros.

O artista plástico já conta na sua carreira com mais de 15 exposições, individuais e colectivas realizadas em Santo Antão e em São Vicente, desde 2009. Jairson Morais há muitos anos tenta um intercâmbio para fazer exposições nas outras Ilhas e como diz “é uma pena que não há ainda uma política para inserir os novos talentos no mercado nacional, para mostrar os novos artistas contemporâneos.”

A falta de oportunidades é apontado por Jairson o principal obstáculo que os novos talentos nacionais se deparam, “ deveria haver uma política voltada para a oportunidade e não revivendo do passado, ou seja, dos dites «elites» da arte em Cabo Verde. A nova geração tem muito para dar a cultura Cabo-verdiana também.”

O artista plástico há quatro anos atrás vem recebendo convites para expor no estrangeiro, mas devido a burocracia que diz existir em Cabo Verde não permitiu-o para tal feito. No ano passado recebeu um convite para um intercâmbio no Luxemburgo e como diz” devido a forte burocracia que existe em Cabo Verde, fiquei retido na Cidade da Praia 18 dias a espera de um simples visto. O visto era de apenas uma semana, mas foi-me negado pelo consulado Português. Alegaram não haver motivos para sair do pais.”

Jairson aponta que já tinha todos os documentos necessários em mãos para esse intercâmbio cultural, mas negaram. O artista desconhece os motivos para tal impedimento, afirmando que todas as suas exposições feitas em Santo Antão e em São Vicente, serem sempre acompanhadas pela TCV.

O maior sonho de jairson é ser reconhecido a nível nacional e representar Cabo Verde no estrangeiro nas grandes galerias de eventos. “Já me sinto um pouco desmotivado nessa questão, mas o meu esforço neste sentido tem sido árduo para alcançar tal objectivo, e almejo ainda abrir a minha propiá galeria de artes”. Aponta.

Neste momento o artista tem ao seu dispor um pequeno estúdio na Cidade da Ribeira Grande, onde produz as suas obras e, como diz” é o meu pequeno espaço onde inspiro-me para produzir e, que normalmente permaneço 8/9 horas por dia.”

Jairson aponta que em Santo Antão é muito difícil viver dependente da arte, mas que vai contornando a situação, ou seja, divulgando e promovendo os seus trabalhos. Para isso criou um novo canal/página no Facebook (Artista plástico Jairson Lima), expondo os produtos e, através da qual os seguidores fazem as suas encomendas.

Neste momento o artista diz que “ tem havido uma grande aceitação por parte dos meus seguidores nas redes sociais, onde já ultrapassei os cinco mil seguidores. Já tenho um mercado bem considerável tanto em Cabo Verde como no estrangeiro, onde já vendi muitas obras. Mas espero pela oportunidade de levar as minhas obras para outras Ilhas e, também para fora de Cabo Verde, para terem mais conhecimento do meu trabalho”.

O artista plástico promovia workshops de pinturas para crianças de 5 a 15 anos de idade, mas que devido a falta de apoios não conseguiu levar adiante, “com muita pena deixei isso, porque sozinho não consigo, mas é um projecto em aberto. Enviei vários projectos para financiamento, mas nunca tive apoio neste sentido. A minha batalha continua e, espero algum dia isto possa tornar-se numa realidade.”

Neste sentido o artista mostra-se aberto a novos convites e a novos projectos sociais. Para dar o seu contributo para que Cabo Verde torna-se num pais “mais consciente a nível da manifestação cultural”.

Para este ano Jairson já tem definido a sua agenda cultural, onde já tem agendado algumas exposições dentro e fora de Cabo Verde. Não podendo adiantar mais detalhes por se encontrarem num processo de confirmações, entre outros detalhes. Mas está convicto de que este ano conseguirá expor fora do pais.

Foto: Facebook

  1. Criol

    Por favor corrigir Titulo “aristas” para artistas

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.