Cabo Mar – Un sorriso per Capo Verde: Associação pede intervenção do Governo para poder continuar a ajudar os mais necessitados

23/01/2017 08:44 - Modificado em 23/01/2017 08:44
| Comentários fechados em Cabo Mar – Un sorriso per Capo Verde: Associação pede intervenção do Governo para poder continuar a ajudar os mais necessitados

Cabo Mar – Un sorriso per Capo Verde, fundada em 2008, criada na Itália, em Milão,  é uma associação sem fins lucrativos cujo objectivo principal é o de ajudar os mais necessitados contribuindo para o melhoramento das condições de vida dos cabo-verdianos tanto a nível social como em caso de doença.

A ideia da criação desta associação partiu de um casal cabo-verdiano que reside actualmente na Itália, Elisa Monterio e Salazar Almeida. De visita a Cabo Verde, a algumas ilhas, nomeadamente São Vicente, Santo Antão e Fogo, aperceberam-se dos muitos problemas existentes nessas ilhas a nível social.

De acordo com um dos responsáveis da “Cabo Mar – Un sorriso per Capo Verde”, primeiramente informam-se das pessoas que necessitam realmente de ajuda e só depois oferecem-lhes ajuda.

“O nosso objectivo é ajudar os mais necessitados mas, primeiramente, procuramos informar-nos dos casos que realmente precisam”, explica Elisa Monteiro, um dos responsáveis da Associação. Entretanto, quando recebem uma solicitação de ajuda, o casal desloca-se à referida casa com o propósito de verificar pessoalmente se realmente necessitam e, posteriormente, mediante as disponibilidades, aos fins-de-semana fazem doações, desde vestuários, géneros alimentícios ou até medicamentos, caso for necessário, de forma a “beneficiar algumas famílias e crianças”.

Essas doações só foram possíveis também graças à ajuda dos seus amigos italianos, desde a Silvia Gaia, à Associazione Carabiniere di Parma na Itália e à U.N.P.I na Itália.

Em 2009, a Associação juntamente com o apoio da U.N.P.I, um serviço existente na Itália cujo objectivo é ajudar as crianças que vivem em África, conseguiu levar para Itália uma criança que possuía uma inversão bilateral nos dois pés e nas mãos.

“Como podem observar na fotografia, esta criança tinha uma inversão bilateral tanto nos pés como nas mãos e conseguimos levá-la e à sua mãe, com a ajuda da U.N.P.I, um serviço existente na Itália cujo objectivo é ajudar as crianças que vivem em África, que arcou com todas as despesas do tratamento da criança que se chama Joelma Fonseca”, afirma Elisa Monteiro.

De momento, Elisa Monteiro solicita a ajuda do Governo para que possam estender mais a Associação e para que possam continuar a ajudar os mais necessitados.

“Neste momento, pedimos a ajuda do Governo para podermos continuar a ajudar os que realmente necessitam porque as despesas têm sido muitas. Imaginem que para transportar as encomendas que irão ser doadas, pagamos menos do que quando as vamos retirar na alfândega aqui em Cabo Verde. Sendo assim, perdemos vontade de as trazer porque o custo é muito alto”, disse.

Acrescenta ainda que “pedimos a ajuda do Governo porque a nossa intenção é ajudar e fazemo-lo com muito amor e queremos continuar com esta Associação”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.