Mãe desesperada pede ajuda para filha que sofre de paralisia infantil

18/01/2017 08:08 - Modificado em 18/01/2017 08:08
| Comentários fechados em Mãe desesperada pede ajuda para filha que sofre de paralisia infantil

Francisca Brito Soares, 29 anos de idade, natural da ilha de São Vicente, residente em Salamansa, é mãe de uma criança com 1 ano de idade, Kymely Soares da Luz, que sofre de paralisia infantil. A criança terá apresentado sintomas desta doença após o nascimento.

A mãe que dedica integralmente o seu tempo para cuidar da filha, Kymely Soares da Luz com 1 ano de idade e que sofre de paralisia infantil, conta as dificuldades do seu dia-a-dia.

“De momento estou desempregada, pois dedico o meu dia-a-dia a cuidar da minha filha. Só o pai dos meus dois filhos é que trabalha e passamos por muitas dificuldades, uma vez que moramos numa casa alugada e a minha filha necessita de medicamentos, entre outras coisas”, conta a mãe.

Francisca Soares, afirma que o tempo foi passando e a sua filha não faz o que uma criança da sua idade faz, “pois a minha filha não se senta, não consegue apoiar os pés no chão. É triste para uma mãe viver esta situação sem poder fazer nada”, considera.

Além dos problemas enfrentados dentro de casa, Francisca Soares encontra outros obstáculos maiores da porta para fora, pois moram um pouco afastados da cidade e, às vezes, ela tem de levar a filha para o PMI, para consultas e 3 vezes por semana para fazer fisioterapia à filha, porque a criança tem uma inversão de pé bilateral.

“Imaginem como é viver sem ter meios financeiros para ajudar o próprio filho? Sinto-me muito triste! Tenho de me deslocar 3 vezes por semana da minha zona, em Salamansa, para a cidade para levar a minha filha para a sua fisioterapeuta porque no PMI notaram que ela tinha problemas nos pés”, disse a mãe com uma certa emoção.

Acrescenta ainda que “sinto-me muito triste e incapacitada por não poder fazer algo para a minha filha, pois de acordo com a Dr.ª Irina, a doença da minha filha não tem cura e aqui em São Vicente não há tratamento para esta doença. No entanto, poderá ter melhorias no estrangeiro ou na Praia”, explica Francisca Soares.

A mãe diz que a filha necessita de uma cadeira especial, pois ela não consegue locomover-se sozinha.

“Neste momento, a minha filha necessita de uma cadeira especial porque ela não consegue locomover-se sozinha e, às vezes, tenho de colocá-la no meu colo o que pode causar algum problema”, frisa Francisca, uma mãe que pede apoio às pessoas que queiram ajudar a sua filha.

Neste momento, a mãe da criança apela às pessoas que queiram ajudar a sua filha que entrem em contacto para o número:

– Francisca Soares: 5925405

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.